uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Estacionamento subterrâneo nas traseiras do seminário

Estacionamento subterrâneo nas traseiras do seminário

Câmara de Santarém desiste de parque junto aos paços do concelho
Edição de 11.10.2006 | Sociedade
O presidente da Câmara de Santarém, Francisco Moita Flores (PSD), vai deixar cair o projecto de construção de um parque de estacionamento subterrâneo na zona do Largo do Município. Um objectivo que figurava nos planos do anterior executivo e para o qual foi aberto inclusivamente um concurso público internacional para concepção, construção e exploração que acabou por não atrair concorrentes.“Não faz qualquer sentido criar uma infra-estrutura dessas nessa zona. Nós queremos uma interacção com o centro histórico e não com a Escola Prática de Cavalaria”, ironizou Moita Flores, quando confrontado com a questão por O MIRANTE.Como alternativa, o autarca pretende avançar com a construção de um parque de estacionamento subterrâneo de dois pisos, com capacidade para mil lugares, nas traseiras do antigo seminário. Uma intervenção no âmbito do projecto de requalificação da Avenida Sá da Bandeira e que chegou também a ser equacionada em anteriores mandatos.A construção do parque ficará a cargo de um privado, escolhido em concurso público, que fará a exploração comercial do recinto e dos estacionamentos que estiverem à superfície num raio de 500 metros.Para o presidente da Câmara de Santarém, o parque subterrâneo vai contribuir para limpar toda a área da confusão de trânsito actual e fazer viver o centro histórico.Segundo Francisco Moita Flores a opção passará por definir tarifas atractivas para o estacionamento subterrâneo e penalizar os lugares de estacionamento que irão ser definidos à superfície e em artérias adjacentes. Ainda que tudo esteja para já no domínio dos planos. O autarca assegura ainda que o Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR) não colocou qualquer objecção à construção de um parque subterrâneo no campo Sá da Bandeira. “Realizámos as sondagens arqueológicas, o IPPAR acompanhou esses trabalhos e tem conhecimento do parecer emitido pela câmara”, refere Moita Flores.O MIRANTE contactou o IPPAR para saber se para esta entidade o projecto de construção do parque subterrâneo é viável, dado tratar-se de uma zona de protecção especial devido à proximidade de monumentos nacionais, mas não obteve resposta até ao fecho desta edição.
Estacionamento subterrâneo nas traseiras do seminário

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...