uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Incentivos para os radiadores João de Deus

Unidade instalada em Samora Correia é líder mundial na produção de intercoolers

A Agência Portuguesa para o Investimento garantiu mais de 2,8 milhões de euros e incentivos fiscais para o projecto de produção de intercoolers para a Toyota na fábrica de Samora Correia.

Edição de 18.10.2006 | Economia
O Conselho de Ministros reconheceu o interesse nacional da expansão da fábrica de radiadores João de Deus e Filhos, S.A e aprovou um conjunto de incentivos e benefícios fiscais para a empresa instalada em Arados, Samora Correia.O Estado garante 25 por cento do investimento de 11,3 milhões de euros e incentivos fiscais para o projecto que empregou mais 64 pessoas e facturou 44 milhões de euros em 2005. “Considera-se que este projecto, pelo seu mérito, demonstra especial interesse para a economia nacional e reúne as condições necessárias à admissão ao regime contratual e à concessão de incentivos financeiros e fiscais previstos para grandes projectos de investimento”, lê-se no preâmbulo do diploma.João Flores, administrador da sociedade congratulou-se com a decisão que foi o culminar de um processo de negociação com a Agência Portuguesa de Investimento (API). O gestor disse a O MIRANTE que a empresa produziu 1,5 milhões de intercoolers para a Toyota em 2005, assumindo a exclusividade no fornecimento das fábricas da Toyota na Europa.O contrato prevê a produção de peças para os modelos Avensis, Corolla e Yaris. A fábrica localizada no lugar de Arados, tem agora 480 dos 550 trabalhadores da João de Deus & Filhos SA. Os restantes trabalham na unidade de Setúbal.Na resolução 129/2006, o Governo aprovou as minutas do contrato de investimento para o alargamento da unidade de Samora Correia e respectivos anexos. O Conselho de Ministros decidiu ainda conceder os benefícios fiscais em sede de Imposto Sobre Rendimento de Pessoas Colectivas (IRC) sob proposta do Ministro de Estado e das Finanças.O acordo será celebrado pelo Estado Português, representado pela Agência Portuguesa para o Investimento (API), Entidades Públicas Empresariais (EPE), a Denso Thermal Systems, S. P. A. e João de Deus & Filhos, S. A.Recorde-se que A João de Deus & Filhos, S. A., foi constituída em 1962 e dedica-se à fabricação de componentes e acessórios para automóveis e seus motores, sendo líder internacional na produção e desenvolvimento de radiadores e intercoolers.A sociedade integra actualmente o grupo italiano Denso, detentor de mais de 90 unidades distribuídas pelo mundo inteiro e de uma vasta rede de parcerias.O alargamento da expansão da João de Deus & Filhos, S. A., foi um processo complicado que obrigou a uma alteração ao regime simplificado do Plano Director Municipal de Benavente que identifica a zona onde está inserida como um espaço para actividades agrícolas.Para ultrapassar a condicionante foi necessário que o município de Benavente e a Comissão Coordenadora do Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT) aprovassem a alteração e o Ministério da Economia reconhecesse o interesse nacional do investimento num processo que culminou há dois anos. Segundo o administrador João Flores, a expansão da unidade permitiu a melhoria da qualidade do produto através da introdução de equipamento especializado que permite a concepção e fabrico de novos modelos e o aumento da utilização da capacidade produtiva.A João de Deus & Filhos SA deu resposta às necessidades do mercado e contribuiu para a consolidação da sua presença no sector de componentes automóveis de primeira linha.O investimento prevê a criação de 102 postos de trabalho até 2012 e deve atingir, no ano de 2008, um valor de vendas acumulado de cerca de 218,4 milhões de euros.Nelson Silva Lopes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...