uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Oposição quer afastar presidente

Oposição quer afastar presidente

Orçamento da Junta de Vale da Pedra foi reprovado pela terceira vez

Oposição fala em desgaste e falta de condições de Joaquim Edgar para continuar à frente da junta.

Edição de 18.10.2006 | Política
Na sessão da Assembleia de Freguesia de Vale da Pedra realizada a 10 de Outubro as contas voltaram a não bater certo e o presidente da junta, Joaquim Edgar Oliveira (PS), viu a oposição chumbar nova proposta de orçamento para 2006. A CDU (2), PSD (2) e Cidadãos por Vale da Pedra (1) votaram contra o documento, prevalecendo a sua posição face aos quatro votos favoráveis dos eleitos do PS. O mesmo já tinha acontecido em Agosto (ver edição O MIRANTE de 23 de Agosto) e em Dezembro de 2005, altura da primeira assembleia. O presidente da Junta de Vale da Pedra diz que o trabalho da autarquia está a ser boicotado com os sucessivos chumbos. Joaquim Edgar Oliveira considera que a situação se está a tornar insustentável e espera realizar em breve uma reunião com o líder do município, o também socialista Paulo Caldas, para saber que apoio pode ter da autarquia na gestão da junta.O autarca de Vale da Pedra e a Câmara do Cartaxo aguardam ainda pareceres da Associação Nacional de Freguesias, Associação Nacional de Municípios Portugueses e de entidades externas sobre a exposição enviada um dia depois da assembleia de freguesia. A intenção é saber se o facto de a junta não ter o orçamento aprovado por esta altura pode implicar a dissolução dos órgãos da freguesia.“Queremos ser esclarecidos sobre o que diz a legislação porque esta situação não se pode manter”, assegura Joaquim Edgar, que diz já ter ponderado apresentar demissão e provocar eleições intercalares.Por parte da oposição na assembleia de freguesia os argumentos são bem diferentes. Alda Semedo (CDU) diz que os pressupostos que levaram a coligação a reprovar as duas propostas anteriores de orçamento se mantêm.“As hipóteses estão em aberto mas nenhuma irá beneficiar a freguesia, quer a junta se demita quer se o orçamento continuar a ser reprovado. O que também não impede que a junta continue a ser gerida”, sustenta a eleita da CDU, que é presidente da assembleia. Alda Semedo defende ainda que é necessário dar outra dinâmica à gestão da junta.Por parte do PSD, Celestino Marques referiu a O MIRANTE que é tempo de Joaquim Edgar dar lugar a alguém com mais capacidade para gerir os destinos da freguesia. “O presidente não esclarece os eleitos sobre protocolos de transferências de verbas e obras que diz fazer. Nem sequer leva esses documentos às reuniões para serem ratificados. Defendemos a sua demissão e a convocação de eleições para a junta”, refere Celestino Marques. Na mesma tónica fala Joaquim Claro, eleito dos Cidadãos por Vale da Pedra (CPVP), que classifica de “muito desgastada” a gestão do actual presidente e de “não servir os interesses da freguesia”. “Apresentou-nos um orçamento igual ao de Agosto que também foi reprovado”, exemplifica o autarca.Ricardo Carreira
Oposição quer afastar presidente

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...