uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Estacionamento subterrâneo tem de avançar com calma

Estacionamento subterrâneo tem de avançar com calma

IPPAR vai acompanhar projecto para o Campo Sá da Bandeira com Câmara de Santarém

O director regional de Lisboa do IPPAR reconhece méritos na requalificação urbana projectada para Santarém mas considera que há que avançar com cautela.

Edição de 18.10.2006 | Sociedade
O director regional de Lisboa do Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR) considera que a proposta de requalificação urbana prevista para a zona do Campo Sá da Bandeira, em Santarém, tem méritos, mas que há que ter em atenção a zonas mais sensíveis em termos patrimoniais. Principalmente quando na intervenção se prevê a construção de um parque de estacionamento subterrâneo de dois pisos, com capacidade para cerca de mil lugares (ver edição O MIRANTE 11 Outubro).As áreas consideradas mais sensíveis pelo IPPAR ficam junto do Seminário, a norte, e nas imediações da Igreja de Jesus Cristo, mais a sul. “O campo Sá da Bandeira é considerada uma zona de aterro e sei que a Câmara de Santarém efectuou sondagens arqueológicas. Aguardamos informação técnica do Instituto Português de Arqueologia mas não esperamos novidades de maior”, referiu a O MIRANTE o director regional do IPPAR.Alberto Flávio Lopes admite que se trata de um projecto «pesado» mas que foi acordado com a autarquia escalabitana que o IPPAR irá acompanhar todas as fases, previsivelmente com uma periodicidade mensal. Em Julho as duas partes reuniram-se para que o IPPAR tomasse conhecimento dos projectos de requalificação urbana previstos para Santarém. O responsável regional do IPPAR valoriza os projectos previstos para o Campo Sá da Bandeira, principalmente no que respeita ao aumento de áreas só para peões junto aos monumentos, em detrimento da actual faixa de tráfego automóvel que travessa aquela zona central da cidade. Alberto Flávio Lopes salienta que a autarquia não deve dar um passo maior que a perna e avançar demasiado no projecto, pois poderá ter de suspender os trabalhos caso se venha a descobrir algo com valor histórico e patrimonial.
Estacionamento subterrâneo tem de avançar com calma

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...