uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Património abandonado

Património abandonado

CDU promove roteiro negro na Póvoa de Santa Iria

Os eleitos da CDU mostraram os pontos negros da gestão socialista na Póvoa de Santa Iria. Carlos Coutinho acusou a câmara de dar uma prenda ao construtor do auto-silo para estacionamento.

Edição de 18.10.2006 | Sociedade
Na manhã de sábado a CDU fez uma incursão pelos pontos mais problemáticos da Póvoa de Santa Iria. O diagnóstico da actuação da maioria socialista da Câmara de Vila Franca de Xira na cidade foi negativo.“A manutenção disto é rigorosamente nenhuma, é como se tivesse sido votado ao abandono”. A observação foi feita pelo vereador da câmara municipal Carlos Coutinho sobre a ribeira da Covina. Inaugurada no dia 25 de Abril deste ano, o espaço, que foi alvo de uma requalificação ambiental e paisagística, encontra-se actualmente coberto de ervas e canas, inclusive na ribeira. Paulo Rodrigues, membro da Assembleia de Freguesia da Póvoa, frisou que o tratamento dado aos terrenos não foi o apropriado, não tendo sido tidas em conta “as características técnicas, como a impermeabilização da ribeira e o arranque das raízes das canas”. A falta de manutenção foi também apontada pela comitiva, composta por elementos da Assembleia de Freguesia da Póvoa e da Assembleia Municipal de Vila Franca, no Vale da Bolonha. Inauguradas as obras de requalificação no mesmo dia que a ribeira da Covina, este espaço apresenta igualmente sinais de “abandono”. No entanto, para a CDU a falta do prometido arranjo da parte sul onde se encontra uma manilha de canalização dos sistemas de águas pluviais e esgotos domésticos é o maior problema. “Logo depois da inauguração houve aqui uma inundação transformando isto numa lagoa”, referiu Carlos Coutinho. Sublinhando o “perigo para as crianças”, o vereador acrescentou que como as canalizações estão entupidas “ não se sabe quando teremos uma nova lagoa”.A requalificação da parte sul do Vale da Bolonha foi prometida pela câmara municipal no dia da inauguração da primeira fase da intervenção, quando os moradores demonstraram o seu descontentamento. No entanto, quase seis meses depois a autarquia ainda não avançou com a intervenção. Câmara dá “uma prendade Natal” Outro ponto de passagem da comitiva foi a zona onde vai ser construído o auto-silo com 300 lugares de estacionamento na Quinta da Piedade. O vereador da CDU da câmara municipal questionou o facto de estarem a proceder à remoção das terras sem que o projecto tenha sido ainda aprovado. “E se o projecto não for autorizado, vamos buscar as terras?”, interrogou.Defendendo que o projecto não resolve os problemas de estacionamento, Carlos Coutinho acusou a câmara de dar ao proprietário dos terrenos “uma prenda de Natal” ao ceder o espaço por um euro o metro quadrado. Alguns moradores da zona aproveitaram a visita da CDU para manifestarem a sua preocupação.“Estão a fazer o buraco rente aos prédios, não tem mais de três metros de distância”, chamou a atenção Ofélia, uma das residentes. Maria da Luz Cardoso, outra moradora, corroborou esta preocupação e lamentou ainda o facto de se ir pôr no local “mais betão quando podíamos ter aqui um grande jardim”. Do roteiro da visita da CDU fez ainda parte o património “ao abandono” da Quinta da Piedade. O presidente da Assembleia de Freguesia da Póvoa, António Nabais, lamentou que três anos depois de ter sido retirada a imagem da Lapa do Senhor Morto ainda não tenha voltado ao devido local. O abandono do Oratório de São Jerónimo, que serve de dormitório para sem-abrigo, e do baluarte da quinta foi também alvo de fortes criticas pelos autarcas.Sara Cardoso
Património abandonado

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...