uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Carlos Arsénio vai publicar livro sobre Campeões da região

Jornalista vai retratar a vida e a carreira desportiva de cerca de 300 atletas do Ribatejo

O jornalista Carlos Arsénio, natural da Carregueira (Chamusca) e actualmente a viver em Almeirim, está a ultimar um livro sobre 300 atletas do Ribatejo que foram verdadeiros campeões. A publicação está prevista para o início de 2007.

Edição de 31.10.2006 | Desporto
“Ribatejo Terra de Campeões” é o título do livro que o jornalista Carlos Arsénio está a escrever e que pretende publicar no início de 2007. O livro vai retratar a vida e a carreira desportiva de cerca de 300 atletas do Ribatejo que foram verdadeiros campeões nas modalidades que praticaram.Carlos Arsénio falou com O MIRANTE e explicou que o livro está a ser organizado há dois anos embora o trabalho de pesquisa já tenha começado há muito mais tempo. “A pesquisa das biografias dos atletas tem sido complicada porque existe muito pouca informação sobre as suas vidas, sobretudo daqueles que já morreram há muitos mais anos”.O livro fala da vida dos atletas da região do Ribatejo que se destacaram nas diversas áreas do desporto como o futebol, atletismo, ciclismo, entre muitas outras modalidades. Carlos Arsénio pesquisou sobre a vida de figuras como Belarmino Correia, cujos pais eram naturais de Carregueira, Chamusca, e sobre o qual chegou a ser realizado um filme com argumento de Baptista Bastos.Futebolistas como Jesus Correia, um dos cinco violinos do Sporting, Bento, Torres e os atletas Baptista Pereira e Marco Chagas, são algumas das personalidades retratadas no livro que o autor trabalha neste altura como se fosse o projecto de uma vida. Carlos Arsénio, natural da Carregueira, Chamusca, sempre se dedicou ao jornalismo desportivo. Começou a trabalhar no extinto “Gazeta dos Desportos” passando depois para o jornal “Record” onde permaneceu até ao final da sua carreira como profissional a tempo inteiro. Embora reformado, Carlos Arsénio não largou a profissão e ainda hoje se desloca de Almeirim a Lisboa dois dias por semana para colaborar no jornal do qual chegou a ser chefe de redacção. Na região onde nasceu e vive, vai colaborando, nomeadamente ligado ao associativismo, neste caso à Associação de Futebol de Santarém, fazendo parte da assembleia-geral. Com uma longa carreira no jornalismo desportivo, que dura há mais de 40 anos, Carlos Arsénio guarda muitas recordações de todo o seu percurso profissional. “O Record foi o primeiro jornal desportivo a publicar-se ao domingo. E para isso contribuiu a colaboração dos jornalistas que num espírito de colaboração e militância que nunca se tinha visto, foram vender jornais para os campos de futebol”, recordou.Enquanto trabalha diariamente para acabar o seu livro dedicado aos Campeões do Ribatejo, o jornalista escreve em simultâneo um outro livro cujo tema é a arbitragem que Carlos Arsénio garante pode vir a dar que falar. Para já a preocupação é acabar de escrever o livro sobre os Campeões do Ribatejo e conseguir os apoios necessários para o publicar logo no início de 2007.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...