uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Inundação corta estrada em Aveiras de Cima

Moradores passaram horas de aflição
Edição de 31.10.2006 | Sociedade
A estrada da Rua da Fonte, em Aveiras de Cima, que liga a freguesia ao concelho vizinho do Cartaxo, passando sob o viaduto da A1, ficou temporariamente intransitável na tarde de quinta-feira devido às fortes chuvas.Os habitantes da rua, que há 22 anos ficaram com as casas submersas, temeram que a água voltasse a invadir as habitações, mas o pior não chegou a acontecer.A enxurrada de água que desceu pela estrada com declive formou lençóis que impediram a circulação no local durante mais de duas horas. O aqueduto junto à estrada ficou entupido com vegetação arrastada pelas águas, o que dificultou o escoamento das águas pluviais.“As manilhas estavam entupidas com lixo e sem espaço suficiente para a água escoar”, queixa-se Sidónio Carreira, 50 anos. Uma das vizinhas, Alda Salvador, 67 anos, quase leva as mãos à cabeça para descrever a aflição que viveu. “Eram três da manhã, chovia tanto que estava a ver que a água me entrava casa dentro”, queixa-se quem ainda não esqueceu as cheias de há duas décadas que colocaram as casas da rua debaixo de água. “Se chovesse mais um bocadinho era isso que acontecia”, antecipa Susana Carreira, outra das moradoras da rua. Em dias de fortes chuvas a tampa do esgoto levanta com a pressão da água, garantem os moradores.O presidente da Junta de Freguesia de Aveiras de Cima, Justino Oliveira, garante que as valetas e o aqueduto estavam limpos antes das cheias. “Choveu torrencialmente e é natural que a água tenha arrastado canas, vegetação e até os plásticos que estão espalhados pelo campo”, explica o autarca que depois da chuva parar enviou uma equipa da autarquia ao local.Justino Oliveira lembra que a estrada é uma zona de risco que já tem registado cheias em anos anteriores, mas garante que a situação piorou desde que o viaduto da auto-estrada do norte (A1) foi construído a poucos metros do local. “Há muitas linhas de água no local e alguns cursos foram alterados”, garante.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...