uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Pais de Calhandriz lutam pela manutenção da escola

Moradores e autarcas temem desertificação da freguesia rural

O fecho da escola é mais um passo para a desertificação da freguesia rural do concelho de Vila Franca de Xira.

Edição de 31.10.2006 | Sociedade
Os pais de Calhandriz compareceram em peso última Assembleia Municipal de Vila Franca realizada naquela freguesia a 24 de Outubro para manifestar a sua oposição ao encerramento da escola. A EB1 de Calhandriz é um dos 22 estabelecimentos escolares que a Carta Educativa do concelho de Vila Franca indica para fechar até 2015.O representante da Associação de Pais e Encarregados de Educação, Carlos Soares, lembrou que a revisão do Plano Director Municipal prevê o alargamento do perímetro urbano de Calhandriz para atrair mais população. “Que pais vão escolher para viver um lugar sem este equipamento essencial?”, questionou. Carlos Soares frisou o elevado número de alunos que de Calhandriz frequentam o ensino superior e interrogou a Câmara de Vila Franca sobre a razão do “desinvestimento na escola que tem levado à contínua saída de alunos”. O representante dos pais reivindicou ainda um ATL e uma nova sala para que a escola que ofereça todas as condições.As manifestações contra o encerramento da escola da Calhandriz têm vindo a acontecer desde que foi aberta a discussão pública da Carta Educativa do concelho, que terminou na terça-feira, 31 de Outubro. Para além de dezenas de cartas que fizeram chegar à autarquia vilafranquense, organizaram ainda um abaixo-assinado que reuniu cerca de 500 assinaturas.Também o presidente da Junta de Freguesia de Calhandriz já se mostrou descontente com o possível encerramento da escola. José Salvador defendeu que a escola “é um bem essencial” para a freguesia.Na assembleia municipal, a presidente da Câmara de Vila Franca sublinhou o facto de a carta em discussão se tratar de um estudo que “estamos a analisar”. Maria da Luz Rosinha adiantou que terminado o prazo de discussão pública a câmara irá “voltar a analisar a proposta, falar com a associação de pais e em conjunto tomaremos a decisão”.Sobre o ATL a edil referiu que é “um problema de todo o concelho” que tem que ser solucionado envolvendo todos os agentes educativos. Para além dos pais de Calhandriz, também os de A-dos-Bispos, Vila Franca de Xira, e Cachoeiras já se mostraram contra o encerramento das escolas previsto na carta até 2015. Também a Assembleia de Freguesia de Castanheira do Ribatejo considerou “muito grave” o fecho da EB1 das Quintas e aprovou uma recomendação à Câmara de Vila Franca para alargar o período de discussão pública da Carta Educativa.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...