uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

“Urgência no Biscainho não serve Benavente”

Câmara critica proposta de requalificação do serviço de saúde

Benavente rejeita deslocar os seus doentes para a nova unidade básica de urgência no Biscainho e insiste na manutenção do serviço de 24 horas na localidade.

Edição de 31.10.2006 | Sociedade
O presidente da Câmara Municipal de Benavente considera um profundo “disparate” a proposta de reformulação das urgências elaborada pela Comissão Técnica de Apoio ao Processo de Requalificação das Urgências e que aponta para o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente em Benavente e a centralização de uma Unidade Básica de Urgência no Biscainho, concelho de Coruche. A nova unidade servirá os concelhos de Benavente, Salvaterra de Magos e Coruche.António Ganhão considera que “não faz sentido” a escolha da localização que fica a 17 quilómetros da actual unidade de Benavente e a câmara deliberou por unanimidade solicitar uma audiência ao secretário de Estado da Saúde. “Seria impraticável alguém de Benavente ou Samora Correia ter de se deslocar para o Biscainho para receber os primeiros cuidados de saúde e depois ser transferido para Vila Franca de Xira ou Santarém”, refere.Segundo o autarca, “em relação a Salvaterra de Magos, Marinhais ou Foros de Salvaterra”, as novas acessibilidades também garantem um transporte mais rápido para os hospitais de Santarém ou Vila Franca que para a unidade a construir. “O nó da A10 terá uma ligação directa para o novo hospital de Vila Franca”, acrescenta.António Ganhão diz que a nova unidade será um mau investimento e lembra que o número de atendimentos médios diários nas urgências de Benavente e de Coruche não justificam a criação deste equipamento.O autarca exorta os eleitos do municípios de Salvaterra de Magos a tomarem uma posição conjunta “sem transformar este caso numa guerra entre populações e Ministério da Saúde”A vereadora do PS Ana Casquinha defendeu que antes de tomar qualquer posição, a câmara deve remeter a proposta para a Comissão Concelhia de Saúde e ouvir os técnicos, utentes e responsáveis do Centro de Saúde de Benavente, que inclui as unidades de Benavente, Samora Correia e Porto Alto e vários postos médicos no concelho.“Temos de recolher argumentos fortes para confrontar a Comissão Técnica de Requalificação das Urgências”, disse.A autarca socialista defendeu que o Governo deve pensar em poupar recursos, mas “em primeiro lugar estão as necessidades básicas das populações”.Miguel Cardia, vereador da CDU e responsável pela protecção civil municipal, considerou que a actual unidade de Benavente cumpre os padrões exigidos. O autarca, que também é socorrista, lembrou que qualquer doente ou sinistrado grave tem de ter respostas dentro de oito minutos. A nova unidade obriga a uma viagem muito mais demorada para quem sai de Benavente ou Samora Correia. O vereador considerou que a proposta “é uma regressão em termos de emergência hospitalar”Nelson Silva Lopes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...