uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Sócrates convoca autarcas do PS para pedir juízo e mais trabalho

Secretário-geral socialista quer mais união com autárquicas na mira
Edição de 07.02.2008 | Política
O secretário-geral do Partido Socialista José Sócrates reuniu no dia 1 de Fevereiro com a maioria dos presidentes de câmara socialistas do distrito de Santarém. A reunião decorreu no Largo do Rato, em Lisboa, sede nacional do PS. Segundo fonte que participou na reunião, o toque a reunir de Sócrates deve-se à necessidade de preparar com tempo a luta pela conquista das próximas eleições autárquicas. No caso do distrito de Santarém fica a dever-se ainda aos fracos resultados do PS nas últimas eleições e à crise que se instalou na família socialista nomeadamente com as guerras internas no Cartaxo e em Almeirim, a falta de um partido forte em Tomar, e o perigo de o PS perder a Câmara de Rio Maior para os social-democratas. José Sócrates terá perguntado o que fazer em Santarém para recuperar a câmara perdida para o PSD mas a resposta parece que terá sido muito vaga por parte de António Rodrigues, presidente da Federação Distrital do PS e da Câmara de Torres Novas, e de Paulo Fonseca, governador civil e figura importante do PS distrital. Uma sondagem que terá sido realizada recentemente dava uma larga maioria a Moita Flores caso ele concorra contra qualquer candidato do Partido Socialista. A única novidade dessa sondagem será a vitória de Paulo Fonseca em Ourém caso resolva candidatar-se. Recorde-se que Paulo Fonseca já foi vários vezes candidato pelo PS à Câmara de Ourém, tendo perdido sempre para o PSD. O lugar de governador civil, que tem vindo a ocupar e que lhe tem dado grande visibilidade, e a guerra interna que estalou no PSD de Ourém poderão estar a dar resultados para o lado dos socialistas, nomeadamente de Paulo Fonseca. A reunião demorou duas horas, contou com a presença de quase todos os presidentes de câmara, embora à mesma hora decorresse uma reunião ao mais alto nível de autarcas do Ribatejo e Oeste para discussão dos temas quentes ligados ao processo do novo aeroporto internacional de Lisboa e ao estudo de uma mesma política para o futuro já sem o investimento na Ota.A excepção à regra foi protagonizada pelo presidente da Câmara de Alpiarça, Joaquim Rosa do Céu, que não apareceu nem se fez representar. Outro dos presidentes de câmara que não esteve com José Sócrates foi o presidente do Cartaxo, Paulo Caldas, que aparentemente optou por permanecer até ao fim na reunião de autarcas do Ribatejo e Oeste. Paulo Caldas fez-se representar pelo seu vice, Francisco Casimiro. A convicção entre a família socialista é que o autarca de Alpiarça poderá optar por assumir a tempo inteiro a liderança do conselho de administração da empresa intermunicipal Águas do Ribatejo, que dá agora os primeiros passos. Há muito que se fala também da possibilidade de Rosa do Céu assumir o cargo de presidente da Região de Turismo mas as recentes alterações ao mapa das regiões de turismo poderão ter trocado as voltas a quem já tinha dado como seguro que Rosa do Céu ia substituir Carlos Abreu à frente da Região de Turismo do Ribatejo.Tomar é um caso perdido para muitos socialistas que vêem o PS da cidade do Nabão muito fragilizado e com uma dinâmica de derrota, enquanto no Entroncamento só uma figura nacional seria capaz de dar a volta ao eleitorado, diz-se ainda no seio dos socialistas sobre duas câmaras que já foram rosa e agora são cor de laranja.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...