uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Misericórdia e Junta de Pernes com projectos autónomos para nova unidade de saúde

Misericórdia e Junta de Pernes com projectos autónomos para nova unidade de saúde

Santa Casa quer recuperar instalações onde actualmente funciona a extensão
Edição de 14.02.2008 | Sociedade
A Santa Casa da Misericórdia de Pernes pretende a devolução, pelo Ministério da Saúde, do espaço onde funciona a extensão de saúde local alugado por cerca de 500 euros mensais à Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo. A extensão de saúde funciona em condições consideradas precárias no rés-do-chão de um imóvel da Santa Casa da Misericórdia, que reclama o seu retorno para poder alargar o lar de grandes dependentes que já funciona nesse edifício. As intenções da Misericórdia têm esbarrado na resistência da ARS, que inclusivamente fez obras de remodelação da extensão de saúde. O problema pode ser ultrapassado com a construção de novas instalações, mesmo sem a contribuição da ARS. A Junta de Freguesia de Pernes tem em curso o processo visando a construção de raiz de uma nova extensão de saúde em terreno que adquiriu para o efeito em parceria com a Câmara de Santarém. O lote fica situado perto do Largo do Rossio, no centro da vila. O presidente da junta, José Viegas (CDU), diz que o projecto está a ser elaborado por técnicos da Câmara de Santarém e pretendem pôr a obra a concurso “dentro de pouco tempo”.O imóvel a construir resultará de uma parceria público-privada. O terreno será cedido pela junta de freguesia ao empreiteiro, que se compromete a destinar o rés-do-chão para posto médico. Os pisos superiores serão destinados a habitação. O projecto poderá ter apoio da Câmara de Santarém e da ARS, mas, segundo o autarca, “com verbas pouco significativas”.E como não há fome que não dê em fartura, a Misericórdia tem também em andamento o processo que visa adaptar a antiga escola pré-primária para a prestação de serviços nas áreas da saúde e acção social. O edifício encontra-se abandonado e em degradação progressiva há mais de seis anos. O projecto já foi aprovado pelo executivo da Câmara de Santarém. A instituição procura assim arranjar alternativa para albergar a extensão de saúde e recuperar o espaço alugado à ARS, pelo menos até que não haja outra alternativa. Contactado por O MIRANTE, o presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, António Branco, confirma que não é intenção da ARS investir em Pernes nos tempos mais próximos. Reconhece que “há um grande interesse da Misericórdia em dispor do seu espaço, mas não da parte do inquilino, que somos nós”. Quanto às soluções explanadas, António Branco diz que há de facto um terreno aprovado para construção de uma unidade de saúde, “o que em termos práticos significa que mais cedo ou mais tarde” a obra será feita. A questão ganhou mais pertinência com as novas atribuições da extensão de saúde de Pernes, agora convertida em Unidade de Saúde Familiar do Alviela, com o alargamento do horário (das 08h00 às 20h00) e prestação de cuidados de saúde a utentes de seis freguesias – Pernes, Vaqueiros, Arneiro das Milhariças, Tremez, São Vicente do Paul e Casével. Um projecto-piloto que agrega os médicos que prestavam serviço naquelas seis freguesias e que asseguram agora, de forma rotativa, o complemento de horário nos dias úteis na estrutura de Pernes.
Misericórdia e Junta de Pernes com projectos autónomos para nova unidade de saúde

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...