uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Trágico lançamento

Edição de 21.02.2008 | Opinião
O comboio continua a ser um meio de transporte do futuro.O túnel do Rossio, em Lisboa, foi recuperado.A nova ponte sobre o Tejo vai contemplar a componente ferroviária. Ainda se fala do comboio de alta velocidade, o famoso TGV.Muitas das manobras e técnicas são as mesmas de há décadas.Naturalmente, o Entroncamento é palco das mais diversas manobras onde vagões são resguardados, composições são efectuadas e se dá destino ao material.Aqui há três anos, um homem ainda jovem foi vítima de um terrível acidente. Tinha 33 anos. Ficou sem a perna esquerda e a sua mão direita sofreu sérias lesões. Esteve internado durante seis meses e foi sujeito a imensas cirurgias, padecendo sempre de significativas dores.Ele era operador de manobras.Como habitualmente, competia-lhe formar comboios com os diversos vagões. É um trabalho de equipa, podendo-se utilizar diversas técnicas.Obviamente, o fundamental é fazer deslocar os vagões, de modo a que permaneçam atrelados uns aos outros e sejam colocados em determinada linha.A manobra ordinária é, de longe, a mais segura. Todos os veículos são engatados entre si. Ficam permanentemente ligados à unidade motora e deslocam-se graças a esta. É maior o controlo sobre o movimento e a travagem.Nas manobras por gravidade, é inviável dominar a circulação. Os vagões são conduzidos para um “cavalo”e ganham a velocidade necessária para atingir o destino. A manobra por pancada dá-se quando é efectuado um encosto de outro material, que permite a deslocação.Nas manobras por lançamento, os vagões estão ligados entre si. A unidade motora intervém, mas sem que seja engatada. Apenas projecta os vagões imprimindo-lhes velocidade, de modo a que os veículos sigam posteriormente por si.Foi precisamente no decurso de uma manobra deste tipo que se deu a tragédia. À data, ainda eram relativamente frequentes as manobras por lançamento.O infeliz manobrador encontrava-se numa das linhas, procedendo ao engate de diversos vagões.Entretanto, fora lançado um comboio sem unidade motora, sobre a linha onde ele operava.Embateu nos vagões em que a vítima trabalhava. Derrubou-os, deixando-os caídos sobre os carris.E, naturalmente, muito maltratado o pobre trabalhador.* Juiz ([email protected])

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...