uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Antiga escola primária de Lagoíços à espera que lhe dêem uso

Antiga escola primária de Lagoíços à espera que lhe dêem uso

Junta de freguesia quer transformar edifício em casa mortuária
Edição de 21.02.2008 | Sociedade
Parte da população de Foros dos Lagoíços e a Junta de Freguesia do Couço, concelho de Coruche, querem que a antiga escola primária da localidade seja reconvertida numa casa mortuária. A escola, situada num amplo terreno no meio da povoação, foi desactivada em 2002 aquando da construção da Escola Básica Integrada do Couço. Desde então a degradação do edifício tem-se acentuado. Em estado de abandono a escola dos Lagoíços tem vidros partidos, vegetação selvagem no amplo pátio verde e objectos espalhados. Na zona de recreio um baloiço, um escorrega e um balancé vão ganhando ferrugem. A porta de escola está aberta, podendo qualquer criança ou animal entrar. Actualmente apenas serve como secção de voto nas diferentes eleições. O interior tem três mesas e quatro cadeiras do último acto eleitoral. Resta o quadro da sala de aula, dois radiadores na parede e até uma salamandra num canto. Ainda é servida por energia eléctrica. À entrada os velhos cabides onde os alunos penduravam roupa e malas e um lavatório. Nas traseiras as casas de banho e uma salinha para a professora.Essa situação leva que a boa parte da população queira que aí se construa uma casa mortuária para que não tenham de se deslocar ao Couço para velar os seus mortos. Para o presidente da Junta do Couço, poucas ou nenhumas opções têm sido consideradas pela Câmara de Coruche à qual diz já ter feito algumas propostas. Luís Alberto Ferreira (CDU) considera que a opção por uma casa mortuária seria bem vinda. Mas adianta que nem sequer apoio para ajudar à manutenção e conservação do espaço tem chegado do município. “A população tem pedido que se construa uma casa mortuária mas também há artesãos que pretendem um espaço para expor os seus trabalhos. Mas se da câmara não chega qualquer tipo de apoio é mais complicado”, refere Luís Alberto Ferreira.O presidente da Câmara de Coruche considera legítima a pretensão da junta mas é de opinião que não se justifica a construção de uma casa mortuária na localidade, à beira do Couço, quando já existe uma no centro da vila, onde fica situado o cemitério. “Existem outros projectos mais interessantes, como a adequação daquele espaço para uma associação de artesãos do Couço que está em constituição e à qual demos apoio. Existe a perspectiva de em breve realizarmos um contrato-programa com essa associação para conferir uma actividade dinâmica àquele espaço”, adianta Dionísio Mendes (PS). Que reconhece ser necessário realizar obras de manutenção do edifício, principalmente no que respeita à cobertura.
Antiga escola primária de Lagoíços à espera que lhe dêem uso

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...