uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Escritor Lobo Antunes recebe casa de férias em troca da cedência do seu acervo literário

Escritor Lobo Antunes recebe casa de férias em troca da cedência do seu acervo literário

Câmara de Torres Novas vai recuperar e adaptar antiga escola primária do Almonda
Edição de 28.02.2008 | Sociedade
A Câmara de Torres Novas vai fazer obras no edifício da antiga escola primária do Almonda para a ceder como habitação de férias a António Lobo Antunes. Em troca o escritor cede o seu acervo literário à autarquia, para futura criação de um núcleo literário na cidade, denominado Casa da Literatura. O contrato de comodato foi aprovado por unanimidade na reunião privada do executivo de 31 de Janeiro. A única ligação que o escritor tem à cidade é o facto de o seu irmão, Pedro Lobo Antunes, residir ali e ser um político local activo. É vereador na autarquia comandada por António Rodrigues (PS) e tem entre outros o pelouro da gestão do urbanismo.“É do interesse do município de Torres Novas criar um espaço para conservação e divulgação do espólio de António Lobo Antunes, no âmbito da política de revitalização cultural consagrada nos projectos Cidade Criativa e Torres Novas.pt (ponte para todos), que passa, pela recolha, conservação e disponibilização ao público de novos acervos artísticos e literários de relevo”, lê-se na proposta aprovada pela câmara. O acervo do escritor, considerado de interesse nacional, ficará instalado no edifício dos actuais paços do município quando os serviços autárquicos forem transferidos para as instalações do antigo hospital.Como contrapartida pela cedência do espólio, o município cede, a título de empréstimo, para habitação de António Lobo Antunes, o edifício onde funcionou a escola do 1.º ciclo de Almonda e assume a responsabilidade de adaptação do espaço, refere a alínea 9.1 do contrato de comodato aprovado. Que, mais à frente (alínea 9.4) ressalva o facto de o edifício escolar em causa ficar sempre propriedade do município. De acordo com uma fonte ligada ao processo, o escritor fez sempre saber que pretendia ter uma habitação no concelho, “onde pudesse descansar, escrever e visitar o seu acervo”. “A mesma fonte adiantou que a autarquia pensou primeiro em alugar uma casa mas decidiu-se pela recuperação da antiga escola “porque ficava mais barato ao município”. O antigo estabelecimento escolar está situado no lugar de Almonda, no cimo de um monte, e tem uma vista privilegiada.De acordo com o contrato, o prazo do comodato é de 20 anos a contar da data de abertura da Casa da Literatura, podendo ser prorrogado por acordo expresso entre as partes. Em caso de morte do escritor durante a vigência do presente contrato, os respectivos direitos e obrigações transmitem-se para os seus herdeiros legítimos.O acervo objecto do contrato aprovado pela Câmara de Torres Novas é constituído pela biblioteca pessoal de António Lobo Antunes, incluindo primeiras edições de obras de sua autoria, manuscritos e objectos pessoais, fotografias, pinturas, bem como prémios e condecorações.
Escritor Lobo Antunes recebe casa de férias em troca da cedência do seu acervo literário

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...