uma parceria com o Jornal Expresso
25/07/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Estudo aponta conclusões óbvias para salvar o Alviela
É necessária convergência de esforços entre várias entidades e muito dinheiro
Edição de 28.02.2008 | Sociedade
No dia em que foi apresentado o Estudo de Recuperação do Ecossistema do Alviela, o presidente da Junta de Freguesia de Vaqueiros denunciou mais uma descarga poluente no rio, que cobriu as águas de espuma branca e matou peixes. Uma prova de que, mais do que estudos técnicos com conclusões mais ou menos esperadas, é mesmo necessário avançar-se com acções práticas para que o rio se livre dos atentados ambientais de que é regulamente vítima há largas dezenas de anos.O estudo encomendado pela Câmara de Santarém à empresa Hidroprojecto diz que todo o ecossistema da bacia hidrográfica do Alviela tem recuperação desde que seja garantida a qualidade da água do rio. A conclusão parece óbvia e apenas vem reforçar aquilo que há muito se vem dizendo: é necessário suprimir as fontes poluidoras, reparando o sistema de saneamento de Alcanena, cuja ETAR é responsável por descargas poluentes no rio, e tratando os resíduos das inúmeras explorações pecuárias da zona.A indústria de curtumes, as pecuárias e também as ETAR de Amiais de Baixo e de Pernes, que funcionam em deficientes condições, são em grande parte responsáveis pela constante poluição no rio. A que acresce o reduzido caudal que se regista no Alviela em boa parte do ano.Para resolver a situação são necessárias soluções integradas para o tratamento dos esgotos das pecuárias – na zona da bacia do Alviela estão registados 13 mil porcos – e reabilitação do sistema de saneamento de Alcanena. O presidente da Câmara de Santarém, Francisco Moita Flores (PSD), afirma-se convencido que há “sensibilidade do Governo” para resolver “um problema que não é só de Alcanena”. Para isso é preciso muito dinheiro e os mentores do estudo consideram essencial a criação de uma estrutura que agregue todas as entidades envolvidas, que tenha força jurídica, para apresentar uma candidatura a fundos comunitários. Entre as linhas de acção preconizadas está a elaboração de um projecto de regularização do rio que defina um caudal mínimo e a execução de um plano de emergência de defesa relativamente à poluição do Alviela. O estudo traçou um diagnóstico ambiental da bacia do Alviela, através da compilação de dados fornecidos por várias entidades, como a CCDR-LVT, Direcção Regional de Agricultura ou Instituto da Água.
Comentários
Mais Notícias
    A carregar...