uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Dirigentes da Sociedade Recreativa Valecavalense querem juntar o desporto à cultura

Dirigentes da Sociedade Recreativa Valecavalense querem juntar o desporto à cultura

A criação de uma equipa de futebol para disputar o campeonato do Inatel é o primeiro passo

Com mais de sessenta anos de vida a Sociedade Recreativa Valecavalense tem dedicado a sua acção à cultura. Mas uma direcção jovem eleita há menos de um ano quer dinamizar o desporto na colectividade para unir a juventude de Vale de Cavalos à volta da sociedade.

Edição de 06.03.2008 | Desporto
A cultura e o recreio foram desde a sua fundação a grande aposta da Sociedade Recreativa Valecavalense. Uma colectividade que tem a sua fundação datada de 1951, altura em que foi inaugurado o edifício sede da associação em Vale de Cavalos, Chamusca, mas que já existia há alguns anos antes.Segundo José António Pires, um dos actuais dirigentes da colectividade, ela nasceu muitos anos antes, tantos que não sabe bem quantos. “Existia informalmente, teve sedes em espaços alugados e só foi oficializada em 1951 na altura da inauguração da sede social”.Sede social que foi erigida pelos dirigentes e sócios da colectividade. “E logo na altura vocacionada sobretudo para a parte cultural”, disse o dirigente, acrescentando que é ali que continuam a realizar-se os espectáculos culturais em recinto fechado em Vale de Cavalos. “Temos o nosso salão que é o maior espaço fechado com condições para apresentar espectáculos culturais em Vale de Cavalos”, disse.Por tudo isto não admira que ali tenha nascido o Rancho Folclórico da Sociedade Recreativa Valecavalense e mais tarde também o Grupo de Danças e Cantares da mesma sociedade. “Duas vertentes culturais que têm sido determinantes para levar bem longe o nome da nossa terra”, garantiu José António Pires, que nesta altura já estava acompanhado de Júlio Pires também dirigente.Aliás o folclore e as Danças e Cantares têm sido as únicas secções da Sociedade Recreativa Valecavalense a funcionar em pleno desde a sua fundação. “Têm sido estas duas formas de fazer cultura que não deixaram morrer a Sociedade”, garantiu o dirigente Júlio Pires.Nos últimos anos a colectividade passou por momentos difíceis e, há cerca de um ano, um grupo de jovens resolveu mobilizar-se e enfrentar o desafio de formar uma direcção e trabalhar para dinamizar a Sociedade Recreativa Valecavalense. “É um grupo de gente muito jovem, o mais velho que é o presidente tem 33 anos, o resto está tudo na casa dos vinte”, vincou José António Pires.E a verdade é que a juventude da direcção, já conseguiu uma boa vitória, chamou para a colectividade muita gente jovem. “Não parámos. Temos batido à porta dos jovens como nós para que venham trabalhar connosco, que venham frequentar a sociedade, e felizmente temos sido bem aceites. Hoje a sede da Sociedade Recreativa Valecavalense voltou a ser frequentada diariamente e o bar que nós exploramos voltou a ser uma boa fonte de receita”, disse o dirigente.Neste momento a colectividade tem 450 sócios pagantes, e embora seja um número bem significativo para uma terra pequena como é Vale de Cavalos, a direcção quer mais, e por isso decidiu enveredar pela área do desporto. “Acreditamos que com a dinamização desportiva podemos trazer ainda mais jovens até nós”, garantiu.Por isso direcção da Sociedade Recreativa Valecavalense já encontrou uma secção de futebol que vai apostar na dinamização da modalidade. “Estamos a trabalhar para formar uma equipa de futebol de onze para que na próxima época represente a sociedade no Campeonato Distrital do Inatel”, referiu José António Pires, o dirigente que vai chefiar a secção de futebol.“Estamos a procurar apoios e jogadores para representar o clube. Queremos formar uma equipa ganhadora, porque só assim temos a certeza de chamar ainda mais jovens para a colectividade” disse com entusiasmo o dirigente da secção.Mas não é só a aposta no futebol que a direcção está a levar a cabo. Mobilizou-se pediu a ajuda da Câmara Municipal da Chamusca e está a proceder a obras de manutenção no interior e exterior da sede da colectividade. “É também uma forma de mostrar às pessoas de Vale de Cavalos que temos ideias e projectos e que os vamos levar para a frente. É uma forma de apelar à auto-estima dos valecavalenses, que sempre se distinguiram pelo seu amor à terra. Amor que nos últimos anos esmoreceu um pouco”, referiu com entusiasmo Júlio Pires.
Dirigentes da Sociedade Recreativa Valecavalense querem juntar o desporto à cultura

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...