uma parceria com o Jornal Expresso
25/07/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Monsanto empata e dificulta contas da subida de divisão
Dos 10 pontos de vantagem com que acabou a primeira fase já só restam apenas dois
Edição de 30.04.2008 | Desporto
O Grupo Desportivo de Monsanto, a única equipa do distrito de Santarém a discutir a subida de divisão nos campeonatos nacionais, está a atravessar um período menos bom de resultados e viu diminuir a sua vantagem pontual no comando da tabela classificativa. A equipa da pequena aldeia do concelho de Alcanena terminou a primeira fase da prova com 10 pontos de vantagem sobre os seus mais directos perseguidores. Na passagem para a segunda fase os pontos foram divididos ao meio e assim essa vantagem passou a ser apenas de cinco pontos. À quarta jornada da segunda fase e depois de dois empates consecutivos em casa a diferença para o Sertanense, agora o segundo classificado passou a ser de apenas dois pontos.Domingo o Monsanto jogou em casa com o Marinhense, equipa que tinha vencido nos dois jogos da primeira fase, e não conseguiu melhor do que um empate 1-1. A equipa comandada por Vítor Alves foi sempre superior ao seu adversário, criou várias ocasiões de golo, mas na hora de concretizar alguma coisa falhava e a bola não entrava na baliza do Marinhense.Contudo, aos 34 minutos de jogo, fruto do seu domínio o Monsanto adiantou-se no marcador. Numa jogada rápida de contra-ataque, a bola chegou aos pés de Cedric, um jogador que realizou uma excelente exibição, que à entrada da área rematou forte e cruzado sem hipóteses de defesa para o guarda-redes que veio da Marinha Grande.A equipa do Monsanto dominava e por várias vezes podia ter ampliado a vantagem, ainda antes do intervalo, não o conseguiu e por isso à saída para as cabines o resultado era manifestamente escasso para o domínio exercido.Na segunda parte o domínio manteve-se mas os atacantes do Monsanto estavam em dia não e foram desperdiçando boas oportunidades para matar o jogo. E, dando razão ao ditado “quem não marca sofre”, aos 75 minutos, numa das duas únicas vezes que o Marinhense chegou perto da área do Monsanto, Falé rematou cruzado e a bola entrou como um bólide na baliza de Paulo Simões. Foi um balde água fria que se abateu sobre toda a gente presente no Campo do Pião.O empate com que se chegou ao final do jogo penaliza muito o Grupo Desportivo de Monsanto, que pelo que fez durante os noventa minutos de jogo merecia claramente a vitória.
Comentários
Mais Notícias
    A carregar...