uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Tribunal deu oportunidade a avô que abusou sexualmente da própria neta de oito anos

Tribunal deu oportunidade a avô que abusou sexualmente da própria neta de oito anos

Arguido de 71 anos foi condenado a quatro anos de prisão, mas a pena foi suspensa

A criança estava de férias em casa do avô em Benavente quando foi abusada pelo menos em quatro ocasiões. O arguido manifestou arrependimento e vai continuar em liberdade.

Edição de 30.04.2008 | Sociedade
Um homem que confessou ter abusado sexualmente da neta de oito anos em Benavente foi condenado na quinta-feira, 24 de Abril, a quatro anos de prisão, mas vai continuar em liberdade porque a pena foi suspensa na sua execução. O arguido de 71 anos vai ter de pagar 300 euros à instituição Novo Futuro que apoia crianças vítimas de maus-tratos e abusos. Tem seis meses para o fazer dados os seus parcos recursos.O colectivo de juízes considerou que o arrependimento do arguido, o facto de não ter antecedentes criminais e estar inserido socialmente e a sua idade justificam a suspensão da pena. “O que o senhor fez é duma gravidade extrema e absolutamente perturbador do crescimento da sua neta”, referiu a juiz presidente Carla Ventura na leitura do acórdão. A magistrada recordou que o relatório de um Pedopsiquiatra que observou a menina e o testemunho da sua mãe confirmaram que a criança ficou traumatizada com a situação que vai influenciar todo o seu desenvolvimento.Francisco Azinheira estava acusado de quatro crimes de abuso sexual de menor, mas foi beneficiado pela alteração da qualificação jurídica que foi feita já no decurso do processo.O reformado foi condenado por um crime de abuso sexual continuado-cuja moldura penal é agravada quando se trata de menor de 14 anos-com uma pena que vai de um ano e quatro meses a 10 anos e oito meses de prisão.Segundo o acórdão, o avô aproveitou um período de férias da criança na sua casa para a sujeitar a várias práticas sexuais. O septuagenário terá beijado a criança contra a sua vontade e terá acariciado as suas partes genitais com os dedos.O arguido confessou sem reservas a acusação e manifestou total arrependimento dizendo que foi uma atitude sem explicação e que não voltaria a fazê-lo. Francisco Azinheira fica sujeito a uma pena suspensa por quatro anos. Se praticar algum crime terá de cumprir a pena por que for condenado mais os quatro anos desta condenação. A maioria dos crimes de abuso sexual de crianças é praticada por familiares directos e pessoas que mantêm relações de confiança com a família das vítimas.
Tribunal deu oportunidade a avô que abusou sexualmente da própria neta de oito anos

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...