uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Planta de ordenamento alterada para mudar localização de zona industrial da Parreira

Terreno junto ao Centro de Dia vai ser aproveitado para outras finalidades
Edição de 03.07.2008 | Economia
A Assembleia Municipal da Chamusca aprovou por unanimidade uma proposta do executivo camarário para executar uma alteração na planta de ordenamento das localidades de Parreira e Salvador. A medida tem como objectivo mudar a localização da futura zona industrial da Parreira. Na planta actual a localização da futura zona industrial ocupava uma parte da propriedade onde foi construído o Centro de Dia da Parreira. Com a aprovação da alteração a zona industrial vai passar para um terreno situado no lugar de Matafome, que foi adquirido pela recém criada Associação de Desenvolvimento Industrial da Parreira (ADIP). Segundo o presidente da Câmara Municipal da Chamusca, Sérgio Carrinho (CDU), impunha-se começar a tomar medidas concretas para que a associação possa continuar a desenvolver o seu trabalho e ao mesmo tempo aproveitar o terreno junto ao Centro de Dia para outro tipo de ocupação. Na nova planta de ordenamento o terreno junto ao Centro de Dia passa a ser para serviços e para loteamento urbano. “Podendo ser usado pela associação do Centro de Dia para desenvolver o seu projecto e o resto do terreno será loteado e vendido a pessoas que ali queiram construir a sua casa”, disse o autarca.Quanto ao terreno comprado pela ADIP, passa a ser uma zona de expansão industrial permitindo que ali possam ser instaladas empresas que os agentes económicos da zona precisam para avançar com os seus projectos. “É apenas uma mudança de local, não implica qualquer outra situação. O terreno de Matafome já está desanexado do resto da propriedade”, disse Sérgio Carrinho.A ADIP é pioneira na compra de terrenos para zona industrial no concelho da Chamusca. E o facto dos industriais da Parreira se terem unido permitiu-lhes avançar com a compra do terreno de Matafome, substituindo-se à autarquia. “Avançámos com a constituição da associação e não parámos, montámos um posto de combustível num terreno emprestado pela câmara e comprámos o terreno onde vai ser construída a zona industrial”, disse Manuel Rodrigues António, membro da ADIP.Entretanto a Câmara da Chamusca já reconheceu o valioso trabalho da ADIP e decidiu avançar rapidamente com a alteração da planta de ordenamento e vai comparticipar no avanço das obras necessárias a implementação da zona industrial. Alteração ao PDM para reconversão da SpalilNa mesma sessão, a assembleia municipal aprovou também uma alteração ao artigo 20º do Regulamento do Plano Director Municipal da Chamusca (Espaços Industriais). Alteração que tem a ver com a classificação das empresas instaladas ou a instalar no concelho. A classificação das empresas é feita por classes e no concelho da Chamusca, perante o artigo 20º do regulamento do PDM, só podiam instalar-se empresas até à classe três. Com esta alteração passam a poder avançar empresas de classe quatro. Segundo Sérgio Carrinho esta alteração prende-se, para já, sobretudo com a possibilidade de instalação de uma empresa da classe quatro nas antigas instalações da Spalil. “Não é a papeleira, essa fugiu para o concelho de Vila Velha de Ródão. É outra empresa que ainda não posso garantir, mas existe uma possibilidade e temos que estar preparados para o que vier”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...