uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Últimos moradoresdo Bairro 16 de Março vão ser realojados

Edição de 03.07.2008 | Sociedade
O Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) e a Câmara de Santarém assinaram segunda-feira um acordo de financiamento, através do programa Prohabita, que vai permitir alojar as dez famílias que ainda habitam no degradado Bairro 16 de Março. Um bairro social construído numa das pontas da cidade durante o Estado Novo e que vai ser demolido em breve.O organismo estatal compromete-se a financiar em 50 por cento o alojamento dos moradores daqueles dez fogos no mercado de arrendamento privado, pagando à câmara 1.500 euros mensais durante 12 anos. As habitações devem ser entregues aos agregados no prazo máximo de um mês após celebração do contrato. O presidente do IHRU, Nuno Vasconcelos, revelou que este foi o segundo acordo assinado com autarquias desde que há um ano é presidente daquele instituto. “Este acordo vem no seguimento da proposta feita pela Câmara de Santarém que apresentou dez situações de carência em agregados familiares. É também o nosso reconhecimento nas necessidades de habitação sentidas pelo município”, referiu durante a cerimónia nos paços do concelho. O presidente da autarquia congratulou-se com as boas novas do IHRU, salientando que sem o apoio daquela entidade não será possível requalificar toda a zona do Bairro 16 de Março. Processo que deve estar concluído até final de 2009, devendo as demolições avançar dentro de uma semana, assegurou. Cerca de 15 famílias daquele bairro já tinham sido alojadas anteriormente.Quanto ao futuro do bairro, Moita Flores disse ter um acordo de princípio com a Sociedade Portuguesa de Autores para ali se vir a construir a Casa do Autor mas não adiantou mais pormenores sobre esse objectivo.Até meados de Julho o IHRU deverá desbloquear a verba necessária para financiamento da construção de um novo bairro social em Alfange. Câmara e instituto chegaram a um acordo global no qual a segunda entidade se compromete a apoiar em 40 por cento a aquisição a fundo perdido de 46 novos fogos naquele bairro.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...