uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Socialistas de Coruche querem maioria absoluta na assembleia para governar sem obstáculos

Convívio do PS reuniu algumas dezenas de apoiantes e militantes
Edição de 17.07.2008 | Política
Foi com sardinhas, febras e entremeadas e algumas dezenas de militantes que o PS de Coruche realizou mais um convívio anual. Se o encontro esteve bem fornecido de comes e bebes no parque da Encosta, junto às piscinas municipais, as novidades políticas ficaram para mais tarde, com os responsáveis a não quererem divulgar se há novidades em termos de constituição das equipas políticas que vão lutar pelas juntas de freguesia, câmara e assembleia municipal.No dizer do presidente da concelhia socialista, Joaquim Banha, ainda é cedo para haver revelações, considerando no entanto natural que haja alguma renovação. “Queremos conquistar as quatro juntas que não são do PS e manter as que já temos”, acrescentou, apontando baterias para a CDU e para a conquista de uma maioria absoluta na assembleia municipal. “Fazem constante bota-abaixo. A oposição parou no tempo. Até votou contra o empréstimo que se vai contrair para adquirir terreno e aumentar a zona industrial”, exemplificou Joaquim Banha, sendo apoiado pela líder da Juventude Socialista de Coruche. Mara Coelho falou em “estranha aliança entre PSD e CDU”, forças que na assembleia têm inviabilizado algumas propostas do PS.Tomando a palavra no fim do almoço, o presidente da Câmara de Coruche preferiu falar nas obras do presente e do futuro, sem no entanto deixar de apontar o dedo aos comunistas. “É uma oposição que só quer ser oposição, não quer ser poder. Só sabe deitar abaixo, não sabe ajudar a construir”, constatou o socialista Dionísio Mendes.Quanto ao futuro, o autarca falou nos desafios do crescimento urbanístico, principalmente em Santo Antonino Norte, e industrial que se deseja para o município, com aquisição de 50 hectares para expansão do parque industrial. Dionísio Mendes falou ainda na construção de centros escolares e do pólo de ensino e formação da Universidade Aberta, além das acessibilidades como IC 10 e IC 13, mais próximas de serem concretizadas. Não esqueceu a construção no novo quartel de bombeiros e do serviço de urgência básico, que “estão bem encaminhados”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...