uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Ajuda ao nível da formação e do desenvolvimento

Edição de 17.07.2008 | Sociedade
Os campos de férias servem para ajudar na formação e desenvolvimento das crianças e não apenas para ocupar os tempos livres quando os pais não estão disponíveis, de acordo com especialistas ouvidos pela agência Lusa.A frequência de um campo de férias torna-se particularmente útil ao desenvolvimento dos mais pequenos quando “suscita redes de novas relações e novas referências (monitores)”, defende o psicólogo Eduardo Sá, que salienta ainda que “quanto mais experiências educativas e plurais as crianças viverem, melhores se tornam”.Mas frequentar um campo de férias nem sempre é uma experiência positiva, podendo, em alguns casos, tornar-se traumática. “Por vezes podem ser experiências não muito agradáveis, porque implicam o afastamento da família. Não é razoável que, em alguns campos fechados, o único contacto permitido com os pais seja um telefonema por dia”, sublinhou o psicólogo.Eduardo Sá defende que os pais não devem forçar as crianças a participar num campo de férias, “se elas não estiverem disponíveis para fazê-lo”. No caso de os filhos demonstrarem apenas “algumas hesitações”, os pais podem recorrer às “âncoras” para os convencerem a ir. “Os pais devem tentar perceber quem das relações das crianças também vai participar no campo de férias - pode ser um colega de escola, um familiar ou um amigo - de modo a tentar esbater as hesitações”, explicou.Os pais devem ainda informar-se em relação a uma série de aspectos na altura de escolherem o campo de férias, aberto ou fechado, onde os filhos irão passar alguns dias ou semanas. Verificar o licenciamento da entidade organizadora pelo Instituto Português da Juventude é um dos aspectos salientados por Helena Sacadura Bote da Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI).E porque os campos, tal como defende o psicólogo Eduardo Sá, “não servem apenas para ocupar os tempos livres, mas também para ajudar na formação das crianças”, Helena Sacadura Bote aconselha os pais a informarem-se sobre os princípios, valores, objectivos e projecto pedagógico que o campo oferece. Como a segurança dos mais pequenos é essencial, Helena Sacadura Bote alerta os pais para que confirmem a existência de seguro de acidentes pessoais, se os monitores têm formação, quais são os procedimentos de segurança no campo de férias em caso de acidente ou emergência, em que tipo de actividades as crianças vão participar e quais os requisitos de segurança. Devem ter a certeza que os filhos utilizam os equipamentos de protecção, roupa e calçado adequados às diversas actividades (colete salva-vidas ou capacete, por exemplo), bem como a utilização frequente de protector solar.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...