uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Motivações políticas podem estar na origem de actos de vandalismo em Alcanhões

Motivações políticas podem estar na origem de actos de vandalismo em Alcanhões

Placa da Rua José Burlamaqui Gaspar destruída e transformada em Rua José Miguel Noras

A placa foi vandalizada horas antes da inauguração. Depois de reposta pela junta de freguesia, alguém a vandalizou novamente.

Edição de 17.07.2008 | Sociedade
Ainda não são conhecidos os autores dos recentes actos de vandalismo em Alcanhões, freguesia do concelho de Santarém, que a Guarda Nacional Republicana está a investigar. Em causa está a destruição de uma placa que sinalizava o nome de uma rua da localidade, a rua José Burlamaqui Gaspar (antigo presidente da Junta). Fonte da junta de freguesia adiantou a O MIRANTE que o marco indicador terá sido destruído com uma marreta durante a noite, pouco tempo antes da inauguração. Alguns dias depois, a Junta de Freguesia recolocou no local uma nova placa, só faltando a colagem de azulejos ornamentados com o nome da rua. Nesse intervalo de tempo, os vândalos voltaram e pintaram a tinta preta uma “sugestão” para o novo detentor do nome da rua: “José Miguel Noras”, ex-presidente da Câmara de Santarém. “Foi um acto de vandalismo de baixo nível, perpetrado por indivíduos mal intencionados e cobardes. Quando descobrimos a placa, destruída, só lá estava uma inscrição que dizia: “ladrão”. O indivíduo expressou a sua opinião, mas pela forma como o fez não será levado a sério. Honestamente, não sei se este acontecimento poderá estar ligado, de alguma maneira, aos factos ocorridos na última assembleia de freguesia», refere Luís Justino, presidente da Junta de Freguesia de Alcanhões a O MIRANTE.Recorde-se que, na última assembleia, um grupo de pessoas que assistia à sessão trocou palavras azedas com o presidente da concelhia socialista de Santarém e ex-presidente da câmara, José Miguel Noras. “Fiquei muito triste com tudo o que se passou. Porém, uma coisa posso adiantar: a junta não vai baixar os braços e vai colocar o nome que foi aprovado na assembleia, custe a quem custar. Contamos ter a obra pronta dentro de pouco tempo”, afirma Luís Justino.“O nome do senhor Burlamaqui foi escolhido em assembleia de freguesia, por ter sido presidente da junta e também por ser uma figura altamente reconhecida em Santarém. É um grande homem, simpático, e nós não procuramos dividendos das obras que fazemos. É verdade que temos pouca autonomia, mas fazemos o melhor que conseguimos”, esclarece o presidente da junta, Luís Justino.Também o detentor do nome pintado a negro na placa, José Miguel Noras, lamenta o incidente. “A minha reacção é de repúdio e de indignação perante o que aconteceu, porque se trata de um autarca de excepção. Acresce que há o argumento de que eu e o Sr. Burlamaqui somos familiares, mas isso só me magoou ainda mais e deixou-me indignado. Foi um gesto cobarde que não merece mais nenhum comentário”, refere.A população está revoltada com o sucedido e lamenta que “guerras políticas interfiram com a dignidade da vila”. “Cheira-me que este episódio faz parte de um jogo político qualquer que em nada dignifica a nossa vila. Ainda não se sabe quem foram os responsáveis mas especula-se que são de cá. É triste que nem os monumentos da nossa terra escapem”, afirma a comerciante Carla Almeida.“O que fizeram à placa já não é novidade. Há poucos meses também rebentaram com uma outra semelhante, junto ao campo de futebol. Parece que, por aqui, quando não se concorda com os nomes que são atribuídos às ruas, destroem-se as placas”, ironiza uma moradora. “Lamento o que aconteceu porque o Sr. Burlamaqui é um bom homem, está numa situação débil de saúde devido a um aneurisma e não merecia este tipo de tratamento”, acrescenta outro popular.
Motivações políticas podem estar na origem de actos de vandalismo em Alcanhões

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...