uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Uma praia com bandeira azul no meio do pinhal

Uma praia com bandeira azul no meio do pinhal

O MIRANTE foi dar um mergulho à praia do Carvoeiro, no concelho de Mação

Há quem venha propositadamente de Lisboa para conhecer o local onde não faltam balneários, bar e salva-vidas.

Edição de 17.07.2008 | Sociedade
É bandeira azul pelo segundo ano consecutivo. A praia fluvial do Carvoeiro, concelho de Mação, enche-se na época balnear de famílias e grupos de jovens oriundos de vários pontos do concelho e fora dele. Ali, não é o dourado da areia que predomina, mas o verde do pinhal. Ricardo Murteira faz a vigilância do local diariamente. O seu dia-a-dia inicia-se com o hastear da bandeira azul, indicador de que aquele é um lugar seguro e de bem-estar para os seus utilizadores, contrariando a falta de vigilância das praias fluviais um pouco por todo o país.A presença do nadador-salvador no local faz com que um avultado número de casais inclua no seu domingo levar os filhos a passar o dia naquele espaço de lazer. Apesar da costa portuguesa continuar a ser o local eleito de férias, existe quem comece a trocar as agitadas águas salgadas do mar pela serenidade das águas doces dos rios e barragens espalhados pela região. António e Paula Santos são um bom exemplo disso. Residentes em Tomar, dizem serem reais adeptos das praias fluviais. Cerca de uma hora e meia foi o tempo que levaram para chegar à praia fluvial do Carvoeiro, localizada a 25 minutos de Mação. “Já tínhamos vindo cá outras vezes e hoje convidámos um casal amigo e viemos passar o dia com as crianças. O sítio é agradável e seguro para os miúdos, mais que a praia”, confessa António Santos, lamentando que nem todos os municípios prezem as praias fluviais, deixando que os equipamentos se deteriorem e sejam muitas das vezes deixados ao abandono sem qualquer vigilância, tornando-se perigosos.Com a chegada dos emigrantes a localidades do interior e com as populações locais, as praias fluviais são, em muitos casos, objecto de encontros entre gerações. Ricardo Murteira estima que durante o fim-de-semana o número de visitantes da praia ascenda às três centenas. “Durante a semana vêem-se muitos avós com os netos a vir passar o dia aqui. Muitos têm os netos a passar férias com eles e aproveitam. Também temos tido bastantes grupos de ATL de várias escolas do distrito, desde Alpiarça, Tomar, Sardoal, Vila de Rei e Sertã. Mas a grande maioria vem durante o fim-de-semana. Juntam-se aqui muitos grupos de jovens e também muitas famílias”. A apanhar banhos de sol ou simplesmente a apreciar a zona verde envolvente, estiveram Carlos Dias e Luísa Dias. Naturais de Lisboa, quiseram eles próprios testemunhar as maravilhas naturais que o interior ainda pode oferecer. O impacto foi agradável e pensam voltar mais vezes. “Já tínhamos ouvido a nossa filha falar do local e resolvemos vir ver como era. É um espaço muito agradável e acolhedor. Assim que possível voltamos”. Enquanto não chega o dia do regresso, o casal confessa que, apesar de tudo, não há água doce que substitua as boas praias portuguesas. Com o termómetro a marcar mais de trinta graus centígrados, não houve quem não aproveitasse para dar um mergulho. Para além da zona balnear para adultos e crianças com amplos espaços de relva e areia, a praia fluvial do concelho de Mação detentora da bandeira azul, a única no distrito de Santarém, está equipada com parque de merendas e churrasqueiras para quem preferir levar o almoço de casa, bar, balneários e primeiros socorros.
Uma praia com bandeira azul no meio do pinhal

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...