uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Variante à Portela das Padeiras começa a nascer em Agosto

Variante à Portela das Padeiras começa a nascer em Agosto

Obra tem prazo de execução de um ano e vai ajudar a descongestionar a EN3

Na segunda-feira foi ainda assinado o protocolo entre o município e a Estradas de Portugal que vai permitir requalificar a EN362 entre Santarém e Alcanede.

Edição de 17.07.2008 | Sociedade
Se tudo correr como o previsto, em Agosto de 2009 termina o pesadelo diário dos muitos utentes do troço da Estrada Nacional 3 na Portela das Padeiras, na periferia de Santarém. A variante que vai aliviar esse congestionado trajecto deve começar a ser construída no próximo mês e tem um prazo de execução de um ano. O contrato entre a Estradas de Portugal e a empresa Tecnovia foi assinado segunda-feira no salão nobre da Câmara Municipal de Santarém. A via tem uma extensão de 2.250 metros e vai permitir circular a uma velocidade máxima de 90 km/hora, ligando a EN 3 à circular urbana Rua O e, através desta, à A1 e A15. O custo estimado é de 4 milhões de euros mais IVA. A Estradas de Portugal gastou ainda 840 mil euros em expropriações.Este foi um passo decisivo para se concretizar uma aspiração com muitos anos e satisfazer uma velha reivindicação da população da Portela das Padeiras e do movimento cívico que a representa. O presidente da Câmara de Santarém, Francisco Moita Flores (PSD), recordou isso mesmo e não poupou elogios ao Secretário de Estado das Obras Públicas que nessa tarde homologou ainda o protocolo para desclassificação do troço da EN362 com 29 km entre Santarém e o limite do concelho com Porto de Mós, na freguesia de Alcanede.Essa é outra velha ambição, mas vai levar mais tempo a ser concretizada. Esse troço passa para a competência da Câmara de Santarém a troco de 3,6 milhões de euros, destinados a financiar parte da intervenção prevista. O executivo camarário não perdeu tempo e na segunda-feira abriu o concurso público internacional para a concepção do projecto, construção e manutenção, num regime de concessão de obra pública durante dez anos. A obra só deverá ter execução física no próximo ano. Vai contemplar correcções e alterações no traçado, com construção de variantes na Aldeia da Ribeira e em Tremês. Não há custo estimado para a empreitada, sendo que o pagamento do município ao empreiteiro será diluído pelo prazo da concessão (10 anos).O secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos, concordou que estas obras eram reclamadas há muito tempo e já deviam ter sido feitas, destacando o esforço do Governo para levar melhores acessos às zonas mais interiores do país e retribuindo os elogios a Moita Flores, “um autarca que não engana”. Quanto à variante à EN3, realçou que “é um pequeno investimento para o país mas um grande investimento para Santarém”. Relativamente ao protocolo para desclassificação da EN362, catalogou-o como uma “solução de consenso”, apesar de recentemente os vereadores do PS terem dito que a verba era escassa face às responsabilidades de conservação da via com que a autarquia fica em mãos.Já o presidente da Junta de Freguesia de Alcanede, Manuel Joaquim Vieira, realçou os benefícios que essa obra vai ter para o norte do concelho, em particular para as empresas que ali laboram.
Variante à Portela das Padeiras começa a nascer em Agosto

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...