uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Polícia ferido numa tentativa de atropelamento em operação Stop

Polícia ferido numa tentativa de atropelamento em operação Stop

Agente ficou com pulso magoado ao desviar-se do carro que circulava a alta velocidade

O segundo comandante da PSP considera esta a situação mais grave dos últimos tempos.

Edição de 24.07.2008 | Sociedade
Os agentes da PSP que participam na operação de fiscalização do trânsito na cidade de Santarém recebem no rádio um alerta apressado: “Tentativa de atropelamento de um agente e fuga”. Eram 00h08 de sábado, dia 20 de Julho. Na Estrada Nacional 3 perto do Centro Nacional de Exposições um polícia da esquadra de investigação criminal corre para o carro, estacionado do outro lado da via, mas nem teve tempo de dar um passo. O condutor em fuga passa-lhe à frente a alta velocidade. Um colega dá um salto para o lado para não ser apanhado. As comunicações surgem em catadupa: “Vai em direcção ao Cartaxo, avisem a esquadra do Cartaxo”. O carro da investigação criminal arranca rapidamente no encalço do fugitivo. No largo Cândido dos Reis, onde o condutor além de não ter obedecido ao sinal de paragem tentou atropelar o agente, estavam vários condutores a ser fiscalizados, alguns que se encontravam ao volante com excesso de álcool no sangue. As atenções viram-se para o polícia que se queixa de ferimentos. Quando viu que a viatura ia na sua direcção só teve tempo de se atirar para o lado. Caiu e bateu com o pulso no lancil do passeio. Com as dores a aumentarem teve que ser transportado ao hospital da cidade. As radiografias confirmam que não houve fracturas mas o polícia vai andar uns dias com o pulso magoado.Os agentes que iam na perseguição do condutor comunicam que este já leva uma grande vantagem. O comissário Maurício, um dos coordenadores da operação, manda a equipa regressar ao ponto de partida. “Apontámos a matrícula e ele vai ser apanhado mais tarde ou mais cedo”. O operacional explica que as perseguições são sempre perigosas tanto para quem vai a fugir como para os agentes e pode ainda haver danos para terceiros que não têm culpa da situação. O segundo comandante da PSP distrital, que acompanha as operações na noite de sábado, mostra-se preocupado. É a situação mais grave dos últimos tempos. “Às vezes há condutores que não param mas não me lembro de uma situação em que se tentasse atropelar um agente”, diz Aguinaldo Cardoso. A operação da PSP decorreu em vários pontos da cidade entre as 23h00 e as 03h00 com 40 polícias das esquadras de Santarém, Torres Novas e Abrantes. O objectivo era o controlo do álcool tendo sido detidos cinco condutores com uma taxa superior a 1 grama de álcool por litro de sangue e foram ainda levantadas 15 contra-ordenações pelo mesmo motivo mas com taxas abaixo deste limite. A PSP fiscalizou cerca de 400 viaturas e encontrou ainda uma situação de um carro modificado e alguns casos de condução sem cinto de segurança. Com esta acção a Polícia pretende através da repressão evitar comportamentos de risco que podem levar a acidentes. No distrito de Santarém este ano, até 15 de Julho, registaram-se 23 mortos na estrada, contra 35 em período homólogo do ano passado. Quanto a feridos graves houve 120, menos 6 que em igual período em 2007.Ver Video: http://www.omirante.pt/omirantetv/noticia.asp?idgrupo=2&IdEdicao=51&idSeccao=514&id=23233&Action=noticia
Polícia ferido numa tentativa de atropelamento em operação Stop

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...