uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Formação Valtejo encerra cursos com saldo positivo

Formação Valtejo encerra cursos com saldo positivo

Programa destinado a desempregados foi financiado pela CCDR-LVT
Edição de 31.07.2008 | Economia
Vítor Batista tem 57 anos e está desempregado há cinco anos. Com mais tempo livre decidiu recomeçar a estudar. Terminou o nono ano e no início deste ano perguntaram-lhe se não queria integrar o curso de formação Valtejo. Decidido a adquirir mais conhecimentos, resolveu arriscar. Terminado o curso de Animação e Gestão de Eventos faz um balanço muito positivo da experiência.Natural de Vila Franca de Xira mas a residir em Samora Correia, Vítor Batista é um dos cerca de 120 formandos das Escolas Profissionais de Salvaterra de Magos, Coruche e Santarém que na quarta-feira, 23 de Julho, terminaram as actividades de formação teórico/práticas do programa Valtejo. Uma oportunidade para mostrar exposições dos alunos e apresentar um espectáculo musical organizado pelo curso de animação e gestão de eventos. No final, o jantar foi serviço pelos alunos do curso de gastronomia regional. O programa Valtejo incluiu ainda os cursos de recepção e atendimento, turismo, serviços comerciais e secretariado.Este é um programa financiado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) de Lisboa e Vale do Tejo que tem como principal objectivo contribuir para a qualificação de recursos humanos da região. O programa destina-se a todos os adultos que se encontrem desempregados, em risco de exclusão social e que necessitem de qualificação ou requalificação profissional.Para a presidente da direcção da Escola Profissional de Salvaterra de Magos, Salomé Rafael, este foi um desafio inovador que superou todas as expectativas. “Ao início foi difícil porque a grande maioria dos alunos estava muito desmotivada. Desempregados há algum tempo e sem perspectivas de retomarem a actividade laboral. Mas conseguimos dar a volta e o balanço foi muito enriquecedor. Trabalhamos na lógica da criação do emprego e é isso que vamos tentar fazer com os nossos formandos”, afirmou, pedindo aos alunos para continuarem a apostar na sua formação e qualificação pessoal.Tal como Vítor Batista, também Isabel Pinho está desempregada há quase um ano e decidiu apostar na sua formação académica. Pensou inscrever-se no curso de animação cultural. Na mesma altura, uma amiga falou-lhe da formação Valtejo. Natural de Vila Franca de Xira mas a viver há vários anos em Foros de Salvaterra (Salvaterra de Magos), Isabel não pensou duas vezes. “Terminei o 12º ano há 19 anos. Estava um pouco receosa em voltar a estudar. Mas correu tudo bem e foi uma experiência muito positiva. É uma mais valia na minha formação académica. Nunca é tarde para aprender e para nos valorizarmos”, explica.O presidente da CCDR-LVT, Fonseca Ferreira, realçou a importância destes cursos de formação que constituem, na sua opinião, uma nova oportunidade para quem está no desemprego de conseguir trabalho. “O principal problema do país e das pessoas é a falta de escolarização. Se as pessoas tiverem formação têm muito mais chances de encontrar trabalho. O programa Valtejo é um exemplo que pode contribuir para melhorar o desenvolvimento do país com benefício para as pessoas”, referiu.Também o presidente da NERSANT felicitou o sucesso alcançado com o programa Valtejo. José Eduardo Carvalho recordou que esta acção de formação foi o último elo de ligação com a CCDR de Lisboa, pelo menos até 2013, já que as sub-regiões da Lezíria e do Médio Tejo pertencem agora às CCDR Alentejo e Centro, respectivamente. E confessa já sentir saudades dessa ligação. O responsável da NERSANT aponta algumas falhas que estão a acontecer no distrito de Santarém. “O distrito vai sofrer muito com este corte na ligação a Lisboa. Passam-se coisas no distrito de Santarém que têm que ser repensadas com urgência. A capacidade exportadora da região aumentou, entre 2000 e 2006, 155 por cento. É lamentável que este esforço que as empresas estão a ter para aumentar a sua capacidade exportadora, esteja a ser preterido nas suas candidaturas, por exemplo, pelo Programa Operacional do Alentejo”, realçou.
Formação Valtejo encerra cursos com saldo positivo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...