uma parceria com o Jornal Expresso
25/07/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
CTT investem um milhão de euros no distrito de Santarém até 2010
Remodelação das estações de correio de Tomar e de Abrantes leva maior fatia do bolo
CTT apostam na melhoria das condições de atendimento aos clientes. A empresa garante que vai haver sempre uma estação de correios em cada sede de concelho.
Edição de 23.10.2008 | Economia
Os CTT – Correios de Portugal vão investir mais de um milhão de euros no distrito de Santarém até 2010, na melhoria das condições de atendimento em estações de correios, centros de distribuição postal e nos edifícios que os servem. A verba vai ser aplicada principalmente na remodelação de estações de correios de Tomar e de Abrantes. Seguem-se também intervenções para melhorar as condições dos postos de correios de Alferrarede, Praia do Ribatejo, Minde, Sardoal, Olival, Riachos, Cartaxo, Samora Correia e Alpiarça.O anúncio foi feito pelo presidente do conselho de administração do grupo durante uma visita a Santarém para encontro com clientes dos CTT, maioritariamente empresários e autarquias, e comunicação social da região. Uma oportunidade para os CTT apresentarem o seu portfolio e ouvirem questões directamente dos clientes regionais. Em 2007, revelou Estanislau Costa, foram investidos 1,3 milhões de euros no distrito. A remodelação da estação de Santarém custou 700 mil euros, tendo sido feitos investimentos de 300 mil euros nas estações de Fátima e Rio Maior. O novo Centro de Distribuição Postal de Almeirim também entrou em funcionamento. “O distrito de Santarém foi aquele em que mais se investiu no país em 2007, reforço que irá ter seguimento até 2010 para garantir melhores condições de trabalho e de atendimento os clientes dos CTT”, referiu o presidente do grupo.Em matéria de política de investimento nos postos de correio da região, o responsável garante que a intenção dos CTT é manter a proximidade às populações, que só as juntas de freguesia conseguem bater. “Temos 63 postos de correio no distrito, podendo ser operados por trabalhadores dos CTT, por juntas de freguesia ou por terceiros por estas indicados. Queremos manter essa proximidade. E, pelo menos, em cada sede de concelho, haverá sempre uma estação de correios, por reduzido que seja o tráfego. Nalguns casos há intensidade de uma ou duas horas em que terá de abrir apenas numa parte do dia”, esclareceu Estanislau Costa.Outra iniciativa que está para ficar é a chamada técnica do rodízio. Ao contrário de antigamente em que o carteiro fazia o mesmo giro até ao final da sua carreira, a actual administração optou por colocar os profissionais a rodar por vários locais, “ganhando o país e os trabalhadores”.Por outro lado, o que pode afectar a qualidade do serviço são as situações em que os CTT têm de recorrer a pessoal assalariado, que recebe uma formação prévia, nos casos de férias, doença ou ausência para acções de formação por parte dos carteiros. “Uns adaptam-me melhor, outros pior. Mas sentimos compreensão da população”, referiu o administrador. Que em matéria de distribuição de correspondência reconhece que nalguns casos há que tentar resolver em conjunto com as câmaras municipais questões de ausência de toponímia que prejudicam a acção dos CTT e os seus clientes. No distrito de Santarém os CTT distribuem diariamente cerca de 270 mil objectos, entre correspondência e encomendas. Contam com 45 estações de correio e 23 centros de distribuição postal. Os carteiros percorrem 348 percursos de distribuição (giros) todos os dias. A cada 24 horas os mais de 200 veículos CTT e CTT Expresso fazem mais de 16 mil quilómetros. A empresa dá emprego a 507 pessoas no distrito. As restantes empresas do grupo - CTT Expresso, Post Contacto e Payshop – estão presentes no distrito, esta última com 125 agentes.
Comentários
Mais Notícias
    A carregar...