uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Linha telefónica vai apoiar pais vítimas de maus-tratos pelos filhos

Edição de 27.11.2008 | Sociedade
Uma linha telefónica de apoio aos pais que são maltratados pelos filhos, que deverá denominar-se SOS PAIS, está a ser preparada para apoiar as vítimas deste fenómeno social, cada vez mais frequente, mas ainda pouco conhecido.“Este é um dos principais tabus da nossa sociedade”, disse à Lusa Maria da Encarnação Honrado, principal impulsionadora da iniciativa, frisando que se trata de “um fenómeno que existe há muito e que se tem vindo a agravar”.Segundo esta juíza, trata-se de algo que atinge todas as classes sociais e não apenas, como muitos pensam, as mais desfavorecidas. “Há casos de violência psicológica, mas a maioria são situações de violência física e de grande agressividade”, frisou a magistrada, acrescentando que este fenómeno não é possível de quantificar actualmente porque se trata de situações que, por regra, “não são objecto de queixa”.Apesar disso, ao longo dos anos, fruto da experiência nos tribunais, mas também de conversas e contactos que foi mantendo, Maria da Encarnação Honrado apercebeu-se que se trata de um “fenómeno crescente” e que era urgente “apoiar aqueles que são vítimas de maus-tratos por parte daqueles que educam”.“Quando as pessoas são vítimas de maus-tratos, a primeira pergunta que fazem é onde é que erraram e sentem-se sozinhas. Esta linha não vai pretender julgar os pais ou o seu desempenho, mas ajudá-los, dizendo-lhes que não estão sozinhos”, afirmou.A juíza esclarece que “não se pretende que se apresente queixa dos filhos, mas apoiar os pais. Trata-se de intervir para restaurar o equilíbrio emocional e, depois, fornecer ferramentas que permitam aos pais lidar com o problema”.“Penso que o binómio deve ser pais felizes/filhos felizes. Temos que apoiar os pais para poder existir depois um reflexo na forma como se desenvolve a relação com os filhos”, defende.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...