uma parceria com o Jornal Expresso
24/04/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
O pintor que quer regressar aos palcos
Nelo expôs catorze quadros no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Forte da Casa
Antigo guitarrista e teclista da banda Sarcastic expôs pela primeira vez os seus quadros. “Pinto porque preciso de criar”, confessa, recordando madrugadas em que as telas ou a música tomaram o lugar da almofada.
Edição de 02.01.2009 | Cultura e Lazer
Nelo chega vestido com roupa escura e modos afáveis. O artista, que expôs pela primeira vez no final de Dezembro os seus quadros no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Forte da Casa, concelho de Vila Franca de Xira, traz um convite para uma conversa à mesa do café, entre duas cervejas e um pacote de batatas fritas. “Todos os quadros são simples despejos da minha pessoa em relação ao que estou a fazer na altura. Sigo a inspiração, o sentimento, mas nenhum tem a ver um com o outro”, explica o pintor. Nelo, nascido Manuel da Silva, foi conhecido durante cerca dez anos como teclista e guitarrista da banda de metal gótico Sarcastic, continuando ainda hoje ligado ao mundo da música. Com o final da banda, em 2000, o tempo livre aumentou e Nelo decidiu experimentar as telas. O resultado foram 34 quadros, que oscilam entre um estilo hiper-realista e um impressionismo de inspiração obscura. As pinturas de Nelo focam temas que vão de um pormenor da cadeia do ADN a um grupo de monges celtas ou ainda a pintura da Lua Cheia num céu limpo e escuro. Os quadros mais abstractos também surgem em tons púrpura e azuis, mas também em quadros de cores quentes. “Pinto porque preciso de criar”, confessa.No final de cada dia, a família e a música, que toca religiosamente todos os dias, ocupam o caminho até à noite. De madrugada, a partir das duas, se surge a inspiração as telas são testemunha do trabalho artístico que pode ser interrompido pouco depois, ou prolongar-se até muito tarde. “Já me levantei da cama com ideias na cabeça e fui aplicá-las”, diz Nelo, sem hesitação. Aos 35 anos, o pintor e músico ganha a vida como comercial de sistemas de rega, profissão que exerce há dezasseis anos. “Depois do convite de um amigo para pintar todos os quadros que lhe iriam decorara a casa, e desta exposição, sinto-me com mais entusiasmo para pintar, mas os quadros só aparecem quando tiver de ser”, confessa Nelo. O convite para expor no Forte da Casa surgiu de uma conversa de café com uma autarca da freguesia. A ambição de dar a conhecer o resto dos trabalhos que já produziu tornou-se um projecto a cumprir.O sonho de produzir um espectáculoNelo nunca deixou o mundo da música após o fim da banda Sarcastic. O pintor e músico tem na calha dois projectos em paralelo, um deles em CD e com “uma parte visual e teatral”. Sem querer revelar muito mais, Nelo explica apenas que irá juntar metal, blues e jazz e conta com a antiga colega dos Sarcastic, a vocalista Sílvia. Os Sacarcastic foram um projecto fundado em 1990 com músicos naturais do Forte da Casa e dando pelo nome de Sarcastic Angel. A banda estava orientada para o trash metal e foi considerada em 1994 pela Rádio Energia, como a autora da melhor maquete rock do ano. A partir dai, os concertos, os prémios e as capas de revista sucederam-se até ao grupo chegar ao fim por motivos pessoais de vários elementos. Renascidos Carcastic, com alguns elementos novos, duraram até ao ano 2000, altura em que se separaram até hoje. “Mas as amizades continuam”, remata Nelo.
Comentários
Mais Notícias
    A carregar...