uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Póvoa antiga candidata ao Polis XXI

Póvoa antiga candidata ao Polis XXI

Circulação nas artérias da cidade e recuperação de património são prioridades

Candidatura ao Polis XXI promete renovar centro histórico e zona ribeirinha da Póvoa de Santa Iria. Autarquia de Vila Franca de Xira apresenta projecto mas não divulga verbas.

Edição de 26.02.2009 | Sociedade
A zona histórica da Póvoa de Santa Iria vai ser candidata aos fundos europeus do programa Polis XXI. A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira apresentou as linhas gerais do projecto, que promete recuperar o património da cidade e ligar a área envolvente da Quinta da Piedade à zona ribeirinha. Os trajectos rodoviários entre as várias zonas da cidade estão no centro da candidatura da autarquia. A câmara municipal quer requalificar a circulação automóvel e pedonal entre as ruas Marquês de Pombal e 28 de Setembro, entre a Quinta da Piedade e a zona antiga da Póvoa. As ruas Vasco da Gama, Rua das Lezírias e Rua dos Bombeiros Voluntários integram também o projecto, que pretende “aumentar o conforto rodoviário e pedonal naquela área”, revelou o urbanista Luís Matas de Sousa, coordenador da candidatura. Para fazer a ligação entre as duas zonas da cidade está prevista a criação de um autocarro ecológico, movido a electricidade. Os parques de estacionamento subterrâneos integram também o conjunto de projectos para a remodelação da zona histórica da cidade. A câmara municipal pretende construir um parque de dois andares na zona da Praça da República, e outro junto à igreja da Póvoa de Santa Iria. Na área do património, a candidatura ao Polis XXI parte de uma planta datada de 1863 para identificar as zonas históricas a recuperar. A Quinta da Piedade é um dos alvos do projecto, que visa transformar um dos edifícios na futura Casa Museu Arquimedes da Silva Santos, uma homenagem em vida ao médico, poeta e pedagogo neo-realista. A recuperação de monumentos como o oratório de São Jerónimo, a lapa do Senhor Morto e a remodelação dos jardins históricos, além da criação de um centro de interpretação serão obras a candidatar aos fundos europeus no mesmo projecto. Na zona envolvente à linha de caminho de ferro, está a ser programada a recuperação das instalações do Grémio Dramático Povoense, com a compra do edifício ao lado, para constituir a nova sede da instituição. Os arranjos do antigo Cine Nazaré e Barracão do Sal, em processo de transformação em jardim, estão integrados nos arranjos da zona antiga da Póvoa. O edifício da CP junto à estação será transformado em gabinete de apoio à renovação urbana. A requalificação da zona ribeirinha é também incluída na candidatura ao Polis XXI. A câmara municipal está a desenvolver um projecto para ligar a área entre o cais da Póvoa e zona ribeirinha junto aos estaleiros da Somague. De fora fica a zona oriental, entre o cais e os limites da freguesia. Para a zona ribeirinha está ainda prevista a criação de um parque urbano. Toda a área de intervenção será abrangida por um trabalho de criação de uma “eco-comunidade”, com acções de promoção de maior eficiência energética junto das empresas, alteração da iluminação pública, recolha selectiva de resíduos porta-a-porta e recolha de óleos usados. A reabilitação dos prédios em estado de degradação, com um programa de recuperação de fachadas é outra das acções previstas para aquela zona.A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira não referiu no entanto, até ao momento qualquer valor sobre os montantes a investir na candidatura. O projecto mereceu já algumas críticas da parte do vereador da coligação Mudar Vila Franca, Rui Rei, que alerta para a “falta de sustentabilidade do projecto”. O social-democrata nota que, dos prédios da área urbana considerada degradada e a recuperar, parte já foi alvo de intervenção por programas camarários. Na zona da Rua da República, os transportes propostos “apenas funcionarão ao final da manhã e à tarde”, por falta de capacidade de transporte da população ente a zona alta da cidade e a linha do comboio por um único autocarro. No acesso à zona ribeirinha, explica Rui Rei, o grande obstáculo é o caminho de ferro, que só é vencido na passagem superior, na zona dos Caniços. “É preciso casar as duas zonas e olhar para o interface rodoferroviário previsto para o local como forma de trazer investimento económico e pessoas para o interior edifícios”, conclui. Cidade pode ser novo “Bairro Alto”A requalificação da zona da Rua da República e dos edifícios junto ao Cine Nazaré pode tornar aquela área da Póvoa de Santa Iria num novo “Bairro Alto”, nota o vereador Rui Rei (PSD). A renovação das zonas comerciais naquela zona e a transformação da zona da Póvoa antiga em zona de convívio deve incluir “circulação condicionada, sob pena de ao se juntarem para conviver nas ruas da zona renovada, pessoas não deixam dormir à noite quem mora na zona”. O vereador sugere a instalação de Redes Nova Geração (RNG), estruturas de fibra óptica que prometem revolucionar o modo de vida das famílias e das empresas, ao permitir elevadas velocidades de navegação na Internet (entre 50 a 100 megabits por segundo, permitindo, por exemplo, descarregar um ficheiro de 1 gigabyte em poucos segundos) e que são consideradas prioritárias pelo Governo, que lhes dedicou um investimento de 50 milhões de euros no pacote de medidas de estímulo da economia que apresentou recentemente, para fazer face à crise mundial. A proposta foi bem recebida pelo executivo camarário.
Póvoa antiga candidata ao Polis XXI

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...