uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Três filhos menores assistem à morte dos pais em Vialonga

Três filhos menores assistem à morte dos pais em Vialonga

Crime passional provocou três vítimas mortais

Crianças andaram mais de um quilómetro para pedir ajuda depois de terem presenciado tudo. Apoio psicológico não foi prestado de imediato e menores dormiram a poucas centenas de metros do local do crime.

Edição de 26.02.2009 | Sociedade
O crime passional que provocou três mortes em Vialonga, Vila Franca de Xira, foi presenciado pelos três filhos menores das vítimas que assistiram a tudo. As crianças, de dois, oito e onze anos andaram mais de um quilómetro para pedir ajuda. “O mais velho chegou aqui com o irmão do meio pela mão e trazia o mais pequeno ao colo. Estavam em choque e só diziam que os pais tinham sido mortos pelo namorado da mãe ”, conta, Joaquim Pinto de 48 anos.Segundo apurámos, a mãe das crianças estava em casa na companhia do ex-marido e dos três filhos, quando chegou Isaac Correia, com quem vivia há cerca de dois meses. O homicida e o pai das crianças terão começado uma discussão que culminou da pior maneira. Com as lágrimas nos olhos Joaquim Pinto revela que foi o irmão mais velho quem telefonou para o 112, mesmo antes de chegar à sua casa. Quando chegou a polícia a criança de onze anos entrou no carro dos agentes, levou-os até ao local do crime e ajudou na investigação. Na noite da tragédia os menores dormiram na casa de uma prima da mãe das crianças situada ao lado da casa de Joaquim e Joaquina Pinto. O casal considera “desumano” o facto de ninguém se ter lembrado do mais importante. Dar apoio às crianças. “Esteve cá a polícia de intervenção, a judiciaria, os bombeiros e o INEM por causa do crime. No fim foram todos embora e esqueceram-se que existem três menores. Com eles ninguém se preocupou. Será que depois de terem visto tudo o que viram não precisavam de apoio psicológico imediato?”, questiona indignado Joaquim Pinto. As crianças foram levadas para a casa dos avós na manhã seguinte aos acontecimentos. Nesse dia deslocou-se uma assistente social ao bairro para saber das condições dos menores.A tragédia aconteceu no bairro de Santa Cruz, nos arredores de Vialonga, cerca das 21h15 de segunda-feira, 23 de Fevereiro. O socorro foi prestado pelos bombeiros de Vialonga e pelo INEM que encontraram um cenário de horror. Isaac Correia, guarda-prisional no Montijo, com 44 anos, atingiu mortalmente o ex- marido da companheira, Luís Melo, camionista de 33 anos e feriu a mulher, Tânia Gomes, empregada de supermercado de 29 anos, depois de disparar vários tiros. De seguida suicidou-se com um tiro na cabeça. Os corpos dos dois homens foram encontrados já cadáveres, enquanto que a jovem estava deitada ainda com vida. A mulher foi transportada pelo INEM para o Hospital de São José, em Lisboa em estado considerado muito grave. Não resistiu aos ferimentos e viria a morrer mais tarde.A casa onde tudo aconteceu está num local isolado e enfiada num vale e os vizinhos não ouviram os disparos. Alguns só souberam do que se tinha passado no dia seguinte. O caso está sob segredo de justiça e entregue à Policia Judiciária.
Três filhos menores assistem à morte dos pais em Vialonga

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...