uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Juliana Barroca

Empresária, 24 anos, Azambuja

“Estou muito alheada da política. O pouco que sei é o que ouço na televisão, mas também não perco muito tempo em frente ao pequeno ecrã. Não vemos evolução no dia a dia e às tantas deixamos de acreditar. Começamos a ignorar as palavras e os discursos. E até há políticos com quem simpatizamos porque até têm alguma graça…”

Edição de 06.05.2009 | Agora falo eu
Na praia prefere biquini ou fato de banho?Biquini! Acho mais confortável, mas prático e mais moderno. O fato de banho é mais quente e até mais desagradável (risos).Confia nos serviços de saúde públicos ou prefere os privados?Prefiro definitivamente o privado. Acho que compensa apesar o valor que se paga. Da última vez que estive num centro de saúde fui muito mal atendida e o problema estava bem visível. Tinha adormecido na praia e apanhei uma insolação. Só me diziam que aguardasse sem me dar qualquer outra explicação. O atendimento deixa um pouco a desejar no público. Tenho um seguro de saúde e prefiro assim.Está atenta à política?Não, estou muito alheada da política. O pouco que sei é o que ouço na televisão, mas também não perco muito tempo frente ao pequeno ecrã. Não vemos evolução no dia a dia e às tantas deixamos de acreditar. Começamos a ignorar as palavras e os discursos. E até há políticos com quem simpatizamos porque até têm alguma graça…Porque é que cada vez mais pessoas adiam o casamento?Falo por mim. Estamos sempre à espera do momento ideal e da altura de maior estabilidade. E há quem diga que o melhor mesmo é continuar na casa dos pais…Os homens de hoje em dia são românticos?Acho que continuam a ser tão românticos como antigamente. Eu não tenho razão de queixa. O meu namorado gosta de fazer surpresas e já me chegou a oferecer uma pintura feita a partir de uma fotografia dos dois…Com que figura pública gostaria de tomar café?Do mundo do cinema poderia ser por exemplo o Nicolau Breyner. Admiro-o como actor e como pessoa. Parece bastante humilde e simpático e os colegas só dizem bem dele. Tem um carisma muito próprio do alentejano que é.Os jovens lêem pouco?Tenho a papelaria há um ano e fiquei surpreendida com o interesse de jovens e menos jovens pela leitura. Qual é o seu livro de cabeceira?É um livro do Nuno Lobo Antunes que saiu no Natal. Um dos irmãos Lobo Antunes, mas não o mais conhecido. O título é “Espero por ti” e fala da relação que como médico tem com os meninos doentes e com os familiares. Já gostava de ler as crónicas que escrevia numa revista e estou a gostar muito do livro. Um médico normal diz à mãe que vai tudo correr bem com o filho e que está ali para o curar. Neste caso é exactamente o contrário. Fala também do quão difícil é para um médico perder um menino doente.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...