uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Dificuldades acentuam-se nas empresas Platex e João Salvador

Edição de 06.05.2009 | Sociedade
Os trabalhadores da Platex - Indústria de Fibras de Madeira (IFM), em Valbom, Tomar, foram surpreendidos, na passada semana, com a decisão da administração da empresa em recorrer ao “lay-off” que vai atingir 220 dos 240 trabalhadores caso entre em vigor. Esta terça-feira, 5 de Maio, sindicato e trabalhadores estiveram reunidos com a administração da empresa que lhes reafirmou que no dia 28 se dará início ao lay-off. A empresa está a desenvolver contactos com o Instituto de Emprego e Formação Profissional visando a implementação dessa medida.Só não são afectados os trabalhadores do refeitório, dos serviços de segurança, portaria, chefes de turno e da ETAR. Com esta medida, os trabalhadores vêm o seu salário mensal sofrer uma penalização da odem dos 25 por cento pelo que apresentaram como alternativa a proposta de poderem frequentar formação profissional, legislação que se aplica à indústria automóvel, e que lhes garantia auferir os salários por inteiro. Entretanto os trabalhadores vão permanecer em casa pelo menos até domingo, 10 de Maio. A empresa suspendeu a produção no início de Abril, por "incapacidade financeira", e aguarda ainda a resposta do Ministério da Economia face a um eventual apoio para manter os postos de trabalho. O salário de Março foi pago em três tranches ao longo do mês de Abril e segundo Aquilino Coelho, do Sindicato dos Trabalhadores da Construção, Madeiras, Mármores e Cortiças do Sul, o vencimento de Abril deve ser pago na totalidade até ao final da próxima semana. Contratos suspensos na João SalvadorJá na empresa João Salvador, Lda. os trabalhadores reuniram-se em plenário na tarde de segunda-feira e decidiram avançar para a suspensão dos contratos de trabalho uma vez que têm por receber os salários de Fevereiro, Março e Abril e ainda o subsídio de Natal. Os trabalhadores já têm os impressos na sua posse e só na sexta-feira se fica a saber quantos decidiram avançar nesta decisão. A empresa tem 320 trabalhadores. A suspensão de contratos de trabalho permite aos trabalhadores receber o subsídio de desemprego e regressar aos postos de trabalho assim que os salários em atraso forem liquidados na totalidade. De acordo com Aquilino Coelho, dirigentes de vários sindicatos reúnem-se sexta-feira, 8, em Tomar estando prevista uma recolha de assinaturas para um abaixo-assinado no mercado semanal da cidade, de modo a pressionar a administração central a olhar com mais atenção para a situação da Platex e João Salvador de Tomar.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...