uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Miguel Relvas e Vânia Neto reforçam corpos sociais da Parquiscalabis

Processo do Parque de Negócios de Santarém tem-se arrastado nos últimos anos

A possibilidade de o traçado da futura variante ferroviária a Santarém colidir com essa zona está posta de parte. Falta agora desbloquear alguns terrenos e ver aprovado o plano de pormenor pela CCDR.

Edição de 06.05.2009 | Sociedade
O deputado do PSD Miguel Relvas foi eleito presidente da mesa da assembleia-geral da Parquiscalabis – Parque de Negócios de Santarém S.A., na mesma assembleia de accionistas onde a vereadora da Câmara de Santarém, Vânia Neto (PSD), foi eleita para o conselho de administração, em representação desse município. Álvaro Pinto Correia continua na presidência do conselho de administração e José Eduardo Carvalho como administrador-delegado.A indigitação de Vânia Neto como representante da autarquia na administração da Parquiscalabis foi vista pelos accionistas como um sinal do presidente da câmara, Francisco Moita Flores (PSD), para ultrapassar alguns bloqueios que o projecto tem conhecido e uma atitude de apoio à viabilidade do mesmo. A eleição de Miguel Relvas, por proposta da Câmara de Santarém e da Nersant, acaba por conferir um maior peso político e institucional aos corpos gerentes da Scalabisport numa altura em que se aproximam decisões importantes para o futuro de um empreendimento que se encontra bloqueado há anos.Um sinal de que as coisas começaram novamente a rolar foi a reunião realizada esta segunda-feira na Câmara de Santarém entre alguns responsáveis, onde se fez um balanço e análise de todo o processo. Segue-se uma reunião com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) de Lisboa e Vale do Tejo para se acordar quais os limites mínimos que serão objecto do plano de pormenor da área que vai albergar o parque de negócios. “Só depois se verá o que se pode fazer”, diz José Eduardo Carvalho.Recorde-se que o processo tem estado parado por questões levantadas pela CCDR relativamente ao plano de pormenor para a zona, que obrigou à redução de 65 por cento da área de loteamento. A morosidade no processo causada pela burocracia da administração central causou transtornos adicionais. Os prazos contratuais estabelecidos em contrato-promessa para aquisição de alguns terrenos pela Scalabisport à Lourogest foram ultrapassados o que obrigou a renegociações entre as duas partes. Os advogados das duas empresas estão a ultimar um acordo final que possa viabilizar o projecto.Um dos obstáculos que está ultrapassado é o da possibilidade da nova variante ferroviária a Santarém ficar na rota do parque de negócios, situado na continuidade da actual zona industrial na Quinta do Mocho. A opção escolhida pela Refer não colide com essa área industrial, como se chegou a temer. O Parque de Negócios de Santarém está integrado nos Parques de Negócios do Vale do Tejo, cuja construção já arrancou em Rio Maior e em Torres Novas.A Parquiscalabis S.A. é uma sociedade privada constituída em 14 de Janeiro de 2003, com um capital social de 750 mil euros. Tem como accionistas a Câmara Municipal de Santarém, a Nersant e as empresas Construtora do Lena, Imocom, Ribatel, J. S. Gouveia, Agro-Ribatejo, Rosas, Louroigest e Terra Única.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...