uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Moradores do Bom Retiro revoltados por causa de cães perigosos que vivem na rua

Moradores do Bom Retiro revoltados por causa de cães perigosos que vivem na rua

Habitantes dizem que se trata de uma questão de saúde pública
Edição de 06.05.2009 | Sociedade
Os cães abandonados que vagueiam pelas ruas do Bom Retiro, em Vila Franca de Xira, incomodam os moradores que temem que a saúde pública esteja em risco até porque, tal como o MIRANTE constatou no local, muitos dos animais estão feridos. O problema foi relatado pelo nosso jornal em Agosto do ano passado, quando se concentravam nas ruas 12 animais. Actualmente, garante quem ali vive, são mais de 20. “Têm-se reproduzido bastante, não sabemos o que fazer”, lamentam. “Estamos cansados de alertar os serviços da câmara para os perigos que vivemos aqui todos os dias. Ou não querem ou não conseguem resolver o problema. Há aqui cães gravemente feridos que mais valia serem abatidos porque são um problema de saúde pública”, acusa Pedro Oliveira, morador na rua Sophia de Mello Breyner Anderson, um dos locais mais críticos. Nessa rua os cães voltam-se aos carros de quem ali passa. Além da falta de higiene que a situação gere, tendo em conta que os cães ali pernoitam, os moradores queixam-se de latidos pela noite dentro que perturbam o sono. “Todos sabemos que já foram crianças atacadas e quando nos aproximamos dos carros os cães querem atacar-nos porque pensam que vamos violar o território deles”, lamenta um morador. “Isto está no limite”, desabafa. Em Agosto do ano passado a autarquia confirmou, através dos serviços médico-veterinários do departamento de qualidade ambiental, o registo da existência de várias queixas de moradores do Bom Retiro relativamente à existência de animais abandonados. Contudo, até hoje, nada foi feito. “Vieram cá com uma carrinha dar ração para os cães adormecerem. Nenhum funcionário levantou um braço para apanhar um cão”, lamenta Marco Cruz, morador, mostrando fotos e vídeos que ilustram as críticas. Quatro moradores queixam-se de ter sido mordidos por animais. No dia em da reportagem uma criança ia sendo mordida por cães ao colocar um saco no contentor do lixo. Um grupo de residentes já envenenou dois animais que acabaram enterrados num terreno nas Cachoeiras. “É um crime, mas é preferível matar os cães do que serem eles a matar os nossos filhos”, diz um dos moradores que manteve o anonimato. Segundo o grupo de residentes que falou ao nosso jornal o problema é provocado também por outros moradores do bairro que insistem em alimentar os cães. “Assim não vão embora porque têm aqui comida garantida”, lamentam.Contactada a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira esta esclareceu que são desenvolvidas, anualmente, perto de 50 acções programadas de recolha de animais abandonados, resultando na recolha de 200 canídeos nas zonas que são alvo de queixas. Todas as capturas são feitas através de um sistema de redes. No caso particular do bairro do Bom Retiro a autarquia diz ter conhecimento da situação. “Já desenvolvemos no local, este ano, mais de dez acções de recolha de cães, algumas das quais sem resultados. Trata-se de uma área com muitos terrenos baldios e hectares de mato, que dificultam a acção de recolha, até porque os cães já identificam a viatura e os técnicos da recolha”.
Moradores do Bom Retiro revoltados por causa de cães perigosos que vivem na rua

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...