uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Pais bloqueiam garagens na Póvoa ao levar filhos à escola

Pais bloqueiam garagens na Póvoa ao levar filhos à escola

Parque alternativo é ignorado para desespero dos moradores

O sinal desapareceu misteriosamente há duas semanas, mas mesmo quando estava no local ninguém o respeitava.

Edição de 06.05.2009 | Sociedade
Os moradores da Rua Álvaro Guerra na Urbanização das Bragadas Grandes, freguesia da Póvoa Santa Iria, estão revoltados com o facto de os pais dos alunos que frequentam a Escola Básica e Jardim de Infância, estacionarem em frente às suas garagens, impedindo a entrada e a saída de viaturas.A urbanização tem cerca de cinco anos e foi construída quando já existia o estabelecimento de ensino. O principal e único acesso à escola fazia-se pela estrada principal. Depois das obras realizadas há um ano, a entrada passou a ser feita pela Rua Álvaro Guerra, que não tem saída. Na ocasião, e antevendo o pior, os moradores reuniram com a presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira para explicar que essa situação não iria resultar, uma vez que as viaturas dos pais iam entupir uma rua sem saída e tapar as garagens, tornando a inversão de marcha difícil.A alternativa encontrada e sugerida pelos inquilinos da urbanização à autarquia foi a construção de um parque de estacionamento a poucas dezenas de metros da nova entrada da escola, onde os pais pudessem estacionar para ir buscar os filhos.O parque de estacionamento foi construído e há um ano, foi colocado um sinal, à entrada da Rua Álvaro Guerra, que indica “sentido proibido excepto a residentes e a veículos prioritários” O sinal desapareceu misteriosamente há duas semanas, mas mesmo quando estava no local ninguém o respeitava. “É a total anarquia e confusão durante a manhã, o meio e ao final da tarde. Toda a gente traz carros para a frente da escola e estaciona na rampa das garagens e em cima dos passeios para poderem trazer e levar as crianças. Depois de terem um parque de estacionamento a poucos metros”, conta António Ramos, um dos primeiros inquilinos da urbanização.Já foram feitas várias queixas na PSP de Alverca e o morador já teve de chamar as autoridades, para que um veículo que tapava a entrada da sua garagem fosse retirado. Na segunda-feira, 4 de Maio, “houve uma senhora que veio ao correio, a porta de casa fechou-se com uma criança lá dentro e tiveram de chamar os bombeiros. Se o carro viesse cinco minutos depois, nem aqui entrava”, garante o inquilino, farto de viver esta situação diária.São afectadas directamente oito garagens. José Ferreira é um dos proprietários. Depois de o sinal ter sido levado há cerca de quinze dias, o morador ligou para a Junta de Freguesia da Póvoa de Santa Iria e para a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. “Ninguém se entende. A junta diz que isso é da responsabilidade da câmara e a câmara diz que o caso já foi arquivado e que tem de ser a junta a resolver o problema”, revela o morador de sessenta anos.José Ferreira diz que só pode entrar em casa a determinadas horas porque as garagens estão com acessos vedados e só pede que os seus direitos e dos restantes moradores sejam respeitados. “A minha liberdade termina onde começa a dos outros e temos de ser respeitados e respeitar. Tem de haver civismo. Não estamos contra as crianças pois é uma alegria ouvi-las a brincar e deram vida aqui ao espaço. O que não dá vida é a falta de educação dos pais”, conclui José Ferreira.Os habitantes esperam reunir em breve com a presidente da câmara para demonstrar que afinal tinham razão.O presidente da Junta de Freguesia da Póvoa de Santa Iria apela ao “bom senso” de pais e inquilinos, enquanto não se encontra uma solução. “Quem vai buscar as crianças não deve estacionar em frente às garagens, porque está a impedir que os moradores acedam a um espaço que é seu. E os moradores devem compreender que aquele é o único acesso à escola”. Jorge Ribeiro lamenta que os pais não utilizem o parque de estacionamento e que essa decisão parte da “consciência de cada um” e apela para que o utilizem, evitando desta forma o congestionamento da via de sentido único.
Pais bloqueiam garagens na Póvoa ao levar filhos à escola

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...