uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vialonga garante subida de divisão e segura ambição do título

Vialonga garante subida de divisão e segura ambição do título

Equipa perde mas assegura promoção, em jogo com casa cheia
Edição de 14.05.2009 | Desporto
Foi com um travo amargo que o GD Vialonga garantiu, no último fim-de-semana, o regresso à Divisão de Honra da Associação de Futebol de Lisboa. A equipa do concelho de Vila Franca de Xira perdeu em casa com o Charneca por três bolas a duas, na 27.ª jornada do campeonato, mas assegurou a subida graças ao empate a uma bola cedido pelo FC Alverca ao Torreense B, que garante aos vialonguenses um dos dois lugares de promoção na série 1 da 1ª Divisão Distrital. As duas equipas disputaram uma partida muito dividida, onde a incerteza no resultado durou até aos últimos minutos. O Charneca entrou mais forte, conseguindo manter a bola mais tempo no meio-campo adversário. Aos 8 minutos, num remate cruzado, Rogério marcava o primeiro para os visitantes. A reacção do Vialonga não se fez esperar. À procura de garantir a promoção, os da casa tinham de marcar golos. Nelinho, aos 16 minutos, restabelece a igualdade e dava início a uma fase de domínio dos vialonguenses, que se viria a esbater no final da primeira parte. À entrada para o segundo tempo, o Vialonga entra de rompante e marca logo no segundo minuto de jogo. Sequeira, o capitão da equipa, dava o mote para tentar levar de vencida a partida. Ao longo de dez minutos, os homens da casa estiveram perto de aumentar a contagem, mas Rogério, de novo, aos 58 minutos, dava o empate a duas bolas ao Charneca. A partir do tento dos visitantes, o jogo ficou mais dividido e mais faltoso. A cinco minutos dos 90, o Charneca marca o terceiro golo, através de Paulo, e sela o resultado. O final do jogo foi dominado pelo Vialonga, mas a vitória não escapou aos visitantes. Nas bancadas, os adeptos da casa sabiam que resultado do Alverca garantia ao seu clube a subida de divisão, mas alguns não deixaram de vaiar os adversários. A festa da subida, essa ficou para depois. No final, os treinadores das duas equipas mostraram-se satisfeitos, por diferentes razões. Paulo Valente, técnico do Charneca, considerava a sua equipa “um justo vencedor, numa partida em que estiveram as duas melhores equipas da série”. O responsável sublinhou que a vitória “ não impediu o Vialonga de subir e coloca o Charneca muito próximo desse objectivo”. Paulo Gomes, treinador do Vialonga, avançava que “foram os pormenores que fizeram a diferença, num jogo em que ficou garantida a promoção”. Apesar da derrota, o Vialonga mantém o comando da prova e sobe de escalão. O Charneca, com a vitória, fica a um ponto do líder, e em posição de disputar o título, que ficará para uma das duas equipas. Na próxima jornada, o Vialonga vai ao campo do Torreense B, quarto classificado, enquanto o Charneca se desloca ao terreno do Mucifalense, 13.º da tabela. Paulo Gomes continua no VialongaO treinador do GD Vialonga, Paulo Gomes, deverá continuar a orientar a equipa em 2009/2010. O presidente da direcção do clube, Amílcar Carvalheiro, revelou a O MIRANTE que “há vontade de ambas as partes e a direcção irá formalizar a continuação do treinador” após o final da época. A formação vialonguense, que alguns criticavam por ter vários jogadores, acima dos 30 anos, deverá também manter no plantel os veteranos Sequeira, Paulo Jaime, Ribas e Roque. Segundo Paulo Gomes, a idade da equipa é “uma falsa questão, porque apenas quatro jogadores estão acima dos 30 anos”. O guarda-redes Luis Guilherme, e o restante plantel, abaixo dos 24 anos, asseguram “um equilíbrio entre experiência e juventude na equipa”, nota o técnico. Um jogo para velhos amigos À entrada para as quatro linhas, os jogadores do Vialonga viram as bancada principal do complexo de desportivo repleta de adeptos da casa, numa das maiores enchentes da temporada. No campo, estavam não só adeptos do clube, como de formações vizinhas. Para o pai de Xavier, atleta da equipa da casa, eram os laços de família que o deslocavam de Moscavide até ao local. Já António Castro garantia ser “povoense há 42 anos, mas com muitos amigos em Vialonga” e elogiava a estrutura sólida do Vialonga. Numa partida em que os adversários pertenciam a dois clubes que militam há vários anos nos escalões amadores, eram vários os adeptos, mesmo entre os visitantes, que conheciam o terreno. Na bancada nascente, a zona era território do Charneca. “Se ganharmos, vamos ser campeões”, assegurava José Anacleto Simões, 69 anos, adepto do Charneca, que representou nos anos 60 a selecção de Angola, numa altura em que a Guerra Colonial o levou até àquele país africano. “Conheço muita malta em Vialonga, mas aposto num 2-1 para o Charneca”, vaticinava o sénior. Um golo a mais para cada equipa e o resultado compôs-se.
Vialonga garante subida de divisão e segura ambição do título

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...