uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Carregado e Fátima adiam subida à liga de honra do futebol profissional

Primeiro jogo do play-off terminou com empate a uma bola adiando tudo para o segundo

Uma casa cheia de apoiantes não foi suficiente para o Carregado superar o modelo competitivo do Fátima na primeira mão do play-off de acesso à liga de honra. A decisão fica adiada para o próximo dia 24 de Maio.

Edição de 21.05.2009 | Desporto
Uma impressionante moldura humana encheu por completo o estádio José Pinto Barreiros, no Carregado, concelho de Alenquer, para assistir à primeira mão do play-off de acesso à liga de honra do futebol profissional português. Apesar do forte apoio, o Carregado não conseguiu superar a equipa visitante do Fátima, com o jogo a terminar com um empate a um golo. Ambas as equipas, vencedoras das séries C e D da segunda divisão, enfrentaram-se com cautela no relvado sintético e o resultado foi um jogo inconsistente mas veloz, onde se viveram alguns lances de emoção. A equipa de Elói Zeferino entrou fortemente motivada por jogar em casa e logo aos 12 minutos o avançado Rente aproveitou a perda de bola de um defesa do Fátima para marcar um golo bonito bem de fora da área. A festa dos carregadenses inundou o estádio, mas viria a durar pouco tempo. O Fátima conseguiu encontrar a organização que lhe escapava desde o início da partida e a dez minutos do intervalo Bruno Matias empurrou o esférico para o fundo das malhas do Carregado, fazendo o empate, num lance com culpas para o guarda-redes da casa. Ao intervalo Quim Barreiros cantava para os visitantes “é só inveja” nos altifalantes do estádio, mas a verdade é que ambas as equipas perderam vigor na segunda parte e só um desvio de João Lemos, do Carregado, levou a bola ao poste da baliza defendida por Nené. Pelo meio ainda houve tempo para mais uma bola à barra da equipa da casa que deixou parada a enorme moldura humana do Carregado. No fim, ambos os treinadores elogiaram o adversário. “O Fátima mostrou porque motivo ainda não perdeu fora de casa esta época. Está habituado a estas andanças. Entrámos com garra no jogo mas não foi suficiente, o resultado acaba por se aceitar”, lamentou Elói Zeferino, treinador do Carregado. No balneário do Fátima o treinador Rui Vitória admitiu que a equipa não entrou bem no jogo. “Estávamos um pouco ansiosos porque sabíamos que íamos encontrar um adversário que tem feito uma belíssima campanha. A partir dos 20 minutos equilibrámos as coisas e acabámos por criar alguns lances de qualidade. Mas o Carregado lutou bem e dificultou a nossa vida ao máximo”, explicou o técnico a O MIRANTE. A decisão de quem avança na prova será decidida no próximo dia 24 de Maio, no campo do Centro Desportivo de Fátima. “Vai ser bastante difícil. Estamos a falar de uma equipa que só joga futebol contra uma equipa amadora que já denota algum cansaço. Estamos habituados a sofrer e vamos lutar até ao fim”, antevê o técnico do Carregado. Para Rui Vitória o objectivo é “reflectir, ver o que podemos melhorar e preparar o próximo jogo”. A partida promete ser, novamente, um evento cheio de público.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...