uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Segundo grupo de doentes de Santarém já regressou de Cuba

Segundo grupo de doentes de Santarém já regressou de Cuba

Doze pessoas foram tratadas a problemas oftalmológicos por iniciativa do município
Edição de 27.05.2009 | Sociedade
O segundo grupo de pessoas operadas aos olhos em Cuba, no âmbito de um protocolo assinado há um ano entre a Câmara Municipal de Santarém e os serviços de saúde cubanos, regressaram esta semana a casa. "Vermos chegar alguém que agora já vê é de uma alegria esfusiante que comove", disse o presidente da Câmara Municipal de Santarém, Francisco Moita Flores (PSD), referindo a emoção que foi ouvir uma idosa afirmar que estava a ver o neto pela primeira vez em dois anos.Moita Flores admitiu que o acordo assinado com os serviços de saúde cubanos é "uma provocação" à ausência de resposta do Serviço Nacional de Saúde às situações destas pessoas. "Para mim, foi um prazer Santarém ter dado uma pedrada no charco", afirmou, "louvando o esforço feito pelo Governo para operar tantos milhares de pessoas às cataratas".Contudo, disse, assiste-se novamente a uma "asfixia às consultas" nos hospitais, o que origina uma redução das listas de espera. "Não podemos permitir que as consultas sejam asfixiadas só para dizermos que temos pequenas listas de espera. Este grupo foi lá para dizer isto. Estamos atentos às listas de espera para as consultas e todos os velhotes que precisam de ser operados têm direito a uma consulta para dizerem se precisam ou não", disse, frisando o carácter "humanista" da sua iniciativa.Depois de um primeiro grupo de 12 munícipes, que esteve em Cuba entre Outubro e Novembro de 2008, o segundo grupo, que havia partido no passado dia 5 de Maio, regressou a Santarém na noite de 20 de Maio. As pessoas envolvidas pelo programa são submetidas a uma triagem por parte dos serviços da autarquia e de técnicos de saúde, sendo acompanhadas, nos 15 dias que permanecem em Cuba, por duas técnicas do município. Com custos que Moita Flores já disse não ser possível encontrar em Portugal, o acordo com Cuba permite uma avaliação global da situação de cada um dos doentes e operações às cataratas, pterígeo, retinose pigmentaria, glaucoma, estrabismo e miopias.
Segundo grupo de doentes de Santarém já regressou de Cuba

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...