uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Golegã espera receber Centro de Alto Rendimento de Hipismo

Edição de 02.12.2009 | Desporto
A Golegã candidatou-se a receber o Centro de Alto Rendimento de Hipismo de Portugal, para o qual adquiriu já terrenos com mais de sete hectares, disse o presidente do município. José Veiga Maltez, independente eleito pelo PS, afirmou estar seguro de que o equipamento, que a autarquia designou por Hipos, virá para a Golegã, uma vez que foi o único concelho do país a avançar com uma candidatura que conta com os apoios “de todo o mundo associativo e federativo, que designou este como o local ideal” para acolher o centro.O autarca estima que o custo do Centro de Alto Rendimento de Hipismo, para o qual está já a preparar uma candidatura a fundos comunitários, rondará os 5 milhões de euros, pelo que pediu uma reunião ao secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias.Nessa reunião, agendada para a próxima semana, Veiga Maltez espera conseguir o compromisso de aumento da verba destinada a esta infra-estrutura, por considerar que os dois milhões de euros previstos são “insuficientes”. “Isso custam os picadeiros e as infra-estruturas de base”, disse, frisando que um equipamento deste tipo tem elevadas exigências veterinárias e ao nível de alojamento, entre outras.Para Veiga Maltez, faz “todo o sentido” que o Centro de Alto Rendimento de Hipismo seja construído na Golegã, não só pela excelente localização como pela aposta que o concelho tem vindo a fazer no cavalo.A Golegã “está legitimada pelo seu percurso desde o século XVI, porque apostou e por ser hoje o maior entreposto comercial do cavalo lusitano, não só em Novembro [quando atinge o seu ponto alto por altura da Feira de S. Martinho] mas ao longo de todo o ano”, disse. “A indústria da Golegã vai ter que ser o cavalo, como alternativa ao sector agrícola”, sublinhou.No seu entender, um dos alvos do Centro de Alto Rendimento de Hipismo terá que passar pela atracção dos brasileiros e sul-americanos que estão a “apostar imenso no puro-sangue lusitano” e que têm que fazer mínimos na Europa para participarem em campeonatos mundiais.Segundo disse, a Golegã poderá ser uma alternativa interessante para as equipas que escolhem actualmente países como a Alemanha ou a França para treinarem. “Este é um projecto para a Golegã, para a região e sobretudo para Portugal”, afirmou.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...