uma parceria com o Jornal Expresso
30/04/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Já não se fazem artigos de madeira como na Casa de Artesanato de Manuel Joaquim Duarte
Em Pernes os torneados de madeira são tradição que a fábrica tem vendido pelo país
Edição de 02.12.2009 | Feira de Pernes
A fábrica de Manuel Joaquim Isidro Duarte, em Pernes, concelho de Santarém, deve ser das poucas da região onde se trabalha a madeira recorrendo à arte do torneiro. Na fábrica da rua Dr. Manuel Ferreira da Silva, à entrada do Rossio, e em frente à sede da Rádio Pernes, produz-se um pouco de tudo. Caixas para chás, de costura, para relógios, para cápsulas de café, mealheiros, copos, molduras, bandejas, e uma imensidão de objectos de todos os tamanhos. Até anéis e pulseiras em madeira e brindes para casamentos consoante os temas que se quiserem. É só puxar pela imaginação.A madeira, pinho e choupo, é trabalhada artesanalmente, apenas com recurso a máquinas de corte. O torneiro de madeira, Fernando Gomes, pega em peças de madeira arredondadas e prende-as no torno que gira a grande velocidade. Com recurso a diferentes tipos de formões e outras ferramentas, vai moldando a matéria-prima para fazer pequenos e grandes artigos, como se estivesse a moldar barro com as mãos, tal é a perfeição com que sai. Chega a fazer piões miniatura com apenas alguns milímetros de comprimento.Manuel Joaquim, como é conhecido em Pernes, começou a trabalhar com 14 anos numa oficina a fazer recados e passou por três fábricas. Em 1981 criou a casa com o seu nome. Cinco anos depois apostou na fabricação de artigos em madeira que vão na cor original com destino às lojas decorativas. “Produzimos cerca de 1200 artigos diferentes e de tamanhos variáveis. Desde os mais tradicionais àqueles que vão surgindo decorrentes do que vamos vendo e do que os clientes nos vão pedindo e sugerindo. Por exemplo, surgiram as novas cápsulas de café e criámos caixas para elas”, refere Manuel Joaquim. O pinho e o choupo vêm das serrações da zona de Amiais de Baixo. O pinho é uma madeira mais compacta e maciça, utilizada em caixas, tabuleiros, molduras, artigos de maior dimensão e mais resistentes. O choupo é mais leve e chega à fábrica em toros. A fábrica trabalha com clientes de todo o país, incluindo ilhas, e até alguns espanhóis e franceses que ficam deliciados com a qualidade, estética e acabamentos dos artigos. Afinal quem nunca sonhou ter uma caixinha de madeira e dar-lhe um toque próprio para guardar os objectos mais apreciados? Uns clientes chegam por contactos com outros clientes. Outros acedem ao blog da fábrica em http://casa-do-artesanato.blogspot.com. Manuel Joaquim Duarte trabalha com a esposa e duas sobrinhas. Tem mais seis colaboradores na fábrica de artesanato. Em novo aprendeu a fazer caixas, tabuleiros e bandejas. Apenas uma vez pegou no torno quando o profissional adoeceu, durante uma feira da especialidade. De resto,Manuel Joaquim costuma levar o artesanato e torneados de madeira de Pernes à Feira Internacional de Lisboa, o principal certame de artesanato do país. Diz que gostaria de participar mais em feiras da região mas defende que as autarquias devem apoiar os seus artesãos na divulgação do que é mais típico e nobre do concelho. O mesmo diz em relação à Feira Anual de Pernes e ao que deve dar destaque aos seus ofícios.
Comentários
Mais Notícias
    A carregar...