uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Acesso à Quinta da Coutada é “um buraco com pedaços de estrada”

Acesso à Quinta da Coutada é “um buraco com pedaços de estrada”

Moradores exigem obras urgentes no local

Estradas de terra batida cheias de buracos, falta de limpeza da vegetação na via pública, ausência de passeios e arruamentos. São estas algumas das principais preocupações dos moradores da Quinta da Coutada, que acusam a Câmara de Vila Franca de Xira de se ter esquecido da localidade e exigem o alcatroamento das vias e o começo das obras.

Edição de 06.01.2010 | Sociedade
Os moradores da Quinta da Coutada, concelho de Vila Franca de Xira, queixam-se da falta de condições dos arruamentos e das estradas, principalmente depois das fortes chuvas que se têm feito sentir. Buracos, falta de limpeza das silvas na via pública, estradas de terra batida e falta de passeios são as principais preocupações, que levam os habitantes a exigir obras urgentes no local.Francisco Tavares da Cruz tem 65 anos e viveu toda a vida na Quinta da Coutada. O morador na rua União Estrela Marítimo está indignado com a quantidade de buracos que tem de passar para chegar a casa. “Isto estraga os carros todos. Já tive de pôr uma suspensão nova, é só prejuízo. E se não fosse um vizinho a aplanar o terreno com uma máquina ninguém podia passar. E não é só nesta rua. É na Quinta da Coutada toda”, acrescenta.Manuel Alves, morador na mesma rua, também se queixa da falta de condições na zona. “Parece que fomos esquecidos! É uma vergonha. Quando chove ninguém pode passar nestas ruas. Os buracos chegam a ter 40 e 50 centímetros de profundidade”, diz indignado. Os moradores exigem o alcatroamento das estradas e a limpeza das silvas nas ruas e passeios da Quinta da Coutada. Na Rua Leões da Bica do Chinelo os passeios estão completamente cobertos pelo silvado, que chega mesmo a ocupar metade da faixa de rodagem.Na Rua Óquei Clube Vilafranquense, na zona onde termina o alcatrão e começa a terra batida, o carro de O MIRANTE viu-se incapacitado de prosseguir devido aos buracos e sulcos que as fortes chuvas provocaram no terreno. “Isto já não é uma estrada com buracos! Isto é um buraco enorme com pedacinhos de estrada aqui e ali. Nós pagamos as nossas contribuições por isso temos de ter também os nossos direitos”, sublinha Francisco Cruz. A Quinta da Coutada é uma AUGI (Área Urbana de Génese Ilegal), cujo estudo de loteamento está concluído e submetido a inquérito público e será em breve remetido a reunião de câmara municipal para aprovação final.Ana Fonseca, que vive na Quinta da Coutada desde 2003 e pertence à Comissão de Administração da AUGI, garante que o projecto está em curso e que na última reunião o executivo camarário se comprometeu a avançar com o projecto. “Temos de ser pacientes. O processo está em curso. Resta-nos esperar e compreender que o facto de isto ser uma AUGI é que levou a que esta zona esteja nestas condições. Mas penso que em breve a situação ficará resolvida e todos os moradores poderão respirar de alívio”, afirma com grande expectativa. A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira garante que as infra-estruturas estão todas concluídas na zona urbana, enquanto na zona rural estão concluídos o abastecimento de água e o saneamento, estando em execução o projecto de infra-estruturas urbanísticas que inclui a pavimentação das ruas e a criação de passeios.
Acesso à Quinta da Coutada é “um buraco com pedaços de estrada”

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...