uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Moradores do Bairro Novo da Figueira e Sodapóvoa já podem comprar as casas onde vivem

Moradores do Bairro Novo da Figueira e Sodapóvoa já podem comprar as casas onde vivem

Património imobiliário passou para a alçada da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira recebeu as antigas casas do Bairro Novo da Figueira (Sobralinho) e do Bairro da Soda Póvoa (Forte da Casa) na sequência de um protocolo com o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social. Apartamentos serão vendidos aos moradores e alguns transformados em habitação social.

Edição de 20.01.2010 | Sociedade
Os habitantes do Bairro Novo da Figueira, no Sobralinho, e do Bairro Soda Póvoa, no Forte da Casa, concelho de Vila Franca de Xira, vão ter a possibilidade de comprar as casas arrendadas onde vivem há décadas. Recorde-se que, tal como O MIRANTE noticiou em Novembro, as questões burocráticas estavam a atrasar este processo de aquisição das casas por parte dos moradores, situação que foi agora desbloqueada.João Luís Bastos, 41 anos, viveu toda a vida no bairro da Soda Póvoa - contruído pela fábrica que tinha à época o mesmo nome. Foi lá que passou a infância, foi nessas ruas que jogou à bola, correu, cresceu e começou a namorar. O bairro deu-lhe a possibilidade de conhecer a esposa, Sílvia Fonseca, de quem tem hoje dois filhos. “Este bairro é uma ilha no Forte da Casa. Toda a gente se conhece e há um grande sentido de comunidade, que é diferente dos outros sítios. O meu pai viveu aqui, eu vivo aqui, foi aqui que conheci a minha mulher e agora tenho gosto que os meus filhos cresçam aqui”, diz com orgulho.O membro da associação de moradores gostava por isso de manter a tradição e as raízes do bairro e que toda a gente que conhece desde criança pudesse adquirir o apartamento em que habita para que o espírito não se perdesse. “O meu pai trabalhava na Soda Póvoa, que agora é a Solvay, e toda a gente deste bairro trabalhava na fábrica. Por isso criou-se uma grande envolvência”, explica.Também Silvina Moreira, 62 anos, está a pensar comprar a casa arrendada em que habita. A antiga trabalhadora na fábrica dos bonecos vive na Rua Soda Povoa nº 13 há 27 anos, e diz que guarda muito boas memórias do bairro onde fez grandes amizades. “É quase como uma grande família. Além disso os meus filhos cresceram aqui. Uma veio para cá com 7 anos e o outro ainda nem tinha um ano. Esse mais novo tem agora 35 e vive comigo, por isso era um legado que ficava para ele”, afirma esperançosa.No 31 de Dezembro, a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira celebrou um protocolo com o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, que permite a transferência do património imobiliário do Bairro Novo da Figueira (Sobralinho) e do Bairro da Soda Póvoa (Forte da Casa) para a autarquia. “A intenção da câmara é que as habitações sejam adquiridas. Foi feita uma avaliação de acordo com a idade dos imóveis e, como já têm alguns anos, são vendidos por valores muito acessíveis e actractivos para a população desses bairros”, explicou a vereadora da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Maria Conceição Santos a O MIRANTE. O espírito no Bairro Novo da Figueira é o mesmo. Por isso Brízida Real, 68 anos, também se mostra interessada na compra da casa arrendada onde habita. A moradora no número 4 mostra-se no entanto mais cautelosa. “Tudo vai depender do preço e das condições que nos forem oferecidas. O bairro está a precisar de grandes obras”, sublinha.Tal como o Bairro da Soda Póvoa, o Bairro Novo da Figueira é um bairro histórico, construído para os trabalhadores da antiga fábrica de lanifícios, Pentealã. “As pessoas daqui querem manter a historia. O meu pai foi trabalhador da Pentaleã e eu vivo aqui desde que nasci. Acho que todos os moradores gostavam de comprar as casas se as condições forem boas, em vez de continuar a pagar as rendas”, diz João Correia, de 61 anos. Algumas casas estão de momento vazias e abandonadas. Brizída Real explica que houve “moradores mais velhos que foram morrendo e, com o aumento das rendas, ninguém ocupou as casas”.A vereadora responsável pelo pelouro afirma que as casas devolutas que existam nos dois bairros podem vir a ser aproveitadas para habitação social, uma vez que é um sector deficitário no concelhoO Bairro da Soda Póvoa foi construído em 1975 pela Habitações Económicas - Federação de Caixas de Previdência. Este património foi integrado entretanto, por força de lei, no Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social por transferência da Caixa de Previdência do Pessoal da Soda Póvoa. O bairro é constituído por trinta e três apartamentos distribuídos por doze edifícios.O Bairro Novo da Figueira é mais antigo, remontando a 1952, altura em que foi construído num terreno adquirido pela então Caixa de Previdência do Pessoal da Indústria de Lanifícios. Este bairro é menor e inclui 20 fogos distribuídos por seis moradias..
Moradores do Bairro Novo da Figueira e Sodapóvoa já podem comprar as casas onde vivem

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...