uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Empate foi prémio justo para o espírito guerreiro da equipa da Chamusca

Empate foi prémio justo para o espírito guerreiro da equipa da Chamusca

Uma arbitragem de péssima qualidade prejudicou as duas equipas e o espectáculo

A equipa sénior de futebol de onze da União Desportiva de Chamusca deslocou-se, domingo, ao Entroncamento, para defrontar a Associação Desportiva Cidade Ferroviária, onde empatou 2-2. Ambas as equipas tiveram que lutar perante uma arbitragem de péssima qualidade que prejudicou o próprio espectáculo.

Edição de 27.01.2010 | Desporto
Era à partida um jogo de pouca história, a equipa do Entroncamento é notoriamente superior à da Chamusca. Mas a equipa do União depois de um péssimo início do campeonato tem vindo a recuperar, encheu-se de brio e com um espírito guerreiro complicou a vida aos homens do Entroncamento.A equipa Ferroviária até entrou bem no jogo, dominadora começou a criar e a desperdiçar algumas boas ocasiões de golo. A equipa da Chamusca bateu-se muito bem e, aos 30 minutos, numa rápida jogada de contra ataque Tiago Silva marcou o primeiro golo dos chamusquenses.Dez minutos depois começou o descalabro da equipa de arbitragem. O árbitro principal Paulo Narciso resolveu mostrar o segundo cartão amarelo e consequente vermelho ao jogador Joel, da equipa da casa, um erro crasso, porque quem tinha feito a falta foi Luís Alves, ainda foi chamado à atenção pelo árbitro assistente, mas não quis voltar atrás.À entrada para a segunda parte, o treinador da Cidade Ferroviária, Paulo Costa, reorganizou a sua equipa e logo aos 50 minutos chegou ao empate. Após um cruzamento da direita Pires apareceu bem entre os centrais da Chamusca e atirou para o fundo da baliza defendida por Biléu.Logo a seguir, Paulo Narciso resolveu equilibrar ainda mais as coisas, no espaço de um minuto mostrou dois cartões amarelos e o consequente vermelho, ao defesa esquerdo da Chamusca, Rocha, em duas faltas que não justificavam minimamente a repressão.Mesmo assim os jogadores da Chamusca não baixaram os braços, retraíram-se ainda mais na defesa e foram resistindo ao maior poder dos ferroviários. Mas aos 88 minutos, após mais um erro, desta vez de um dos auxiliares, que transformou um lançamento lateral a favor dos chamusquenses em lançamento para a equipa da casa, Multagá fez o 2-1 para a equipa do Entroncamento.Tudo parecia perdido para a equipa da Chamusca, mas os jogadores não baixaram os braços. Nem mesmo depois do mesmo auxiliar ter resolvido voltar a interferir no jogo, Tiago Silva isolou-se e quando se preparava para rematar à baliza, levantou a bandeirola a assinalar fora de jogo inexistentes. Tiago Silva não se conteve e protestou de forma muito incorrecta e viu o cartão vermelho, aqui uma decisão correcta de Paulo Narciso. O capitão de equipa da Chamusca, Rui Mira foi até perto do auxiliar para retirar o nervoso Tiago Silva, e sem qualquer justificação, viu o árbitro mostrar-lhe o cartão vermelho.Reduzida a oito unidades e, já com o jogo em período de compensação, a equipa chamusquense não baixou os braços e, já quando ninguém esperava, ganhou um livre directo à entrada da área, Filipe Santos fez questão de ser ele a marcá-lo e atirou em jeito fazendo entrar a bola junto ao ângulo esquerdo da baliza defendida por Mário Pinto. Estabelecendo um empate que premiou o espírito guerreiro da equipa da Chamusca, e penalizou a ineficácia dos jogadores do Entroncamento.Um início de campeonato muito difícilNo final do jogo, o treinador do União de Chamusca, António Timóteo estava satisfeito com a lição de dignidade dada pelos seus jogadores. “Sabíamos que íamos defrontar um adversário com outras possibilidades, um dos candidatos ao título. Batemo-nos muito bem, os nossos jogadores foram autênticos guerreiros e tiveram o justo prémio para a sua entrega”.A equipa depois de um início de campeonato muito difícil encontrou-se e vai no sexto jogo sem perder. “Não foi fácil organizar uma equipa formada pela prata da casa, jogadores que estavam sem jogar há muito tempo ou que jogavam ao fim-de-semana no Inatel, fomos trabalhando com clama e com vontade e conseguimos ultrapassar todas as dificuldades e o espírito mudou, estamos no bom caminho”, garantiu António Timóteo.Ineficácia na concretização ditou o empateO treinador da Cidade Ferroviária, Paulo Costa lamentou a falta de eficácia concretizadora da sua equipa. “Foi um jogo em que desperdiçámos várias ocasiões de golo. Por isso o resultado é francamente enganador. De qualquer modo premeia o espírito guerreiro dos jogadores da Chamusca, que estão de parabéns. Para nós o resultado não foi muito penalizador, estamos praticamente na segunda fase e na discussão do título”, garantiu.
Empate foi prémio justo para o espírito guerreiro da equipa da Chamusca

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...