uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Reforçar a tradição das festas populares em Alverca do Ribatejo

A população de Alverca do Ribatejo, concelho de Vila Franca de Xira, gosta das festas da sua terra, mas lamentam que o programa esteja a emagrecer, sobretudo na qualidade dos artistas. Ainda assim a maioria garante que o que conta é o convívio a amizade.

Edição de 24.06.2010 | Sociedade
É preciso manter a tradiçãoIsabel Mendes, 47 anos, empresáriaIsabel Mendes garante que “costuma ir todos os anos” às festas de Alverca do Ribatejo. Defende que a população deve apoiar a realização destas festividades e pretende em 2010 regressar ao campo da feira para ver a actuação de alguns artistas. “Temos de ajudar esta iniciativa porque as nossas festas não se realizaram durante muitos anos e é de louvar o que tem sido feito”, defende. A empresária considera que uma das coisas que falta em Alverca é que a população prefira o comércio local. “Devíamos todos, enquanto cidade, comprar na nossa terra e contribuir para o nosso crescimento em vez de irmos para fora gastar o dinheiro”. O centro de saúde seria, para Isabel Mendes, um serviço a melhorar. “O centro de saúde é uma obra nova mas está atrofiada, não funciona. Nas urgências não há condições”, conclui.Ginjinha é obrigatória nas festasBernarda Lopes, 50 anos, empregada de boutiquePara esta empregada de boutique as festas de Alverca não podem passar sem uma ginjinha. “Vou lá sempre provar”, conta. “Só lá vou uma vez ou outra mas gosto das festas. Gosto dos artistas que vêm à cidade, por norma são sempre muito bons”, defende. Para Bernarda Lopes o único momento das festas que não aprecia é a noite da sardinha assada. “Não costumo ir e provavelmente este ano também não vou”, confessa. “Também é pena terem mudado a festa da zona da igreja para o sítio da feira, perdeu alguma da sua tradição. Ainda assim são umas boas festas que vale a pena ver e visitar”, conclui. Para ela não há, actualmente, nada de errado em Alverca do Ribatejo. “Temos polícia e bombeiros, não precisamos de mais nada, acho que Alverca está bem assim”, refere.É preciso mais estacionamentoTeresa Figueiredo, 42 anos, comerciante “Gosto de me divertir, distrair e conviver com outras pessoas. As festas também servem para aliviar o stress e esquecer a crise”, diz Teresa Figueiredo. A comerciante diz gostar do ambiente dos festejos e da tradição que estas encerram. Considera que nos anos anteriores os artistas têm sido de boa qualidade mas levanta algumas dúvidas quanto ao cartaz de 2010. “Acho que as festas têm tido artistas bons mas este ano acho o programa mais fraco, talvez por causa da crise, mas vou de certeza espreitar”, diz com um sorriso. Teresa lamenta que a cidade seja cada vez mais um dormitório de Lisboa e refere que a freguesia precisa de mais gente a comprar no comércio tradicional. “Também há pouco estacionamento. As pessoas quase nunca conseguem parar o carro para vir às lojas”, refere.Faz falta um artista de renomeZaida Monteiro, 47 anos, comerciante“A minha actividade rouba-me imenso tempo e não consigo ir às festas”, lamenta Zaida Monteiro, comerciante de Alverca do Ribatejo. Ainda assim, refere que é positiva a sua realização. “Tenho ouvido falar das festas e acho que num destes anos conseguiram trazer muita gente à cidade por causa de um bom artista que aqui deu um concerto. Se continuassem e se empenhassem em continuar a trazer bons artistas talvez as festas fossem uma mais-valia para a cidade”, defende. Para a comerciante “faz falta mais estacionamento que permita às pessoas irem às compras no comércio local” e também iniciativas para as crianças. “Não se vêem grandes actividades lúdicas para os mais novos”, critica. Uma forma de esquecer os problemasJosé Pereira, 57 anos, comercianteJosé Pereira garante que tenta nunca faltar às festas de Alverca. “O ano passado fui e gostei, acho que as festas são uma parte importante da nossa tradição e é preciso mantê-las”, defende. Para José Pereira as festas valem pelo convívio que proporcionam e “sempre dão para afastar os problemas da cabeça”, como a crise económica. “As festas são uma boa forma da malta conviver e acho uma tradição bonita. Gosto de ver os ranchos e os grupos musicais mas também me atrai os petiscos”. Quanto ao que falta hoje na cidade de Alverca diz que falta tanta coisa que a lista nunca mais acabava.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...