uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Instalação de antena de telemóveis na Meia Via volta à Câmara de Torres Novas

Estrutura deve ser implantada num local diferente do inicialmente previsto e que foi objecto de contestação
Edição de 30.06.2010 | Sociedade
Após uma reunião entre o Bloco de Esquerda (BE) de Torres Novas e o presidente do município, António Rodrigues (PS), sobre a possível instalação de uma antena de telecomunicações na Meia Via, ficou decidido que o tema será novamente discutido em reunião camarária. Segundo António Gomes (BE), o presidente da câmara comprometeu-se “a levar o assunto a reunião de câmara”, para que se tome uma “decisão contrária” à tomada anteriormente. Ou seja, que a antena não seja instalada à entrada da localidade, junto ao viaduto da A23, perto de uma escola do 1º ciclo, devendo procurar-se outro local. António Gomes salientou que António Rodrigues reconheceu que aquela “não era a solução mais feliz” para o caso. Em causa, notou, está a “prevenção a nível da saúde das pessoas”, uma vez que se desconhecem as consequências dos campos electromagnéticos. Por outro lado, a nível do ordenamento do território, uma antena de telemóveis naquele local “era a pior solução que se podia encontrar”.O deputado municipal do Bloco de Esquerda apontou que não foi uma argumentação difícil, uma vez que António Rodrigues ainda não se havia apercebido do “alcance” do caso. “Concluímos que de facto tínhamos razão”, afirma.Em Maio, algumas dezenas de populares da Meia Via manifestaram-se contra a instalação da antena da empresa Setronix, representante da operadora de telemóveis Optimus, num terreno da junta de freguesia à entrada da localidade. A zona já possui uma rede de alta tensão e outra antena, da TMN. A junta de freguesia iria arrecadar mais de 4 mil euros por ano com o aluguer do terreno. Contactado por O MIRANTE, o presidente da freguesia, José Gil Serôdio, afirmou não ter conhecimento da decisão. “Para nós o que conta é o que foi decidido há um ano”, quando a Câmara de Torres Novas aprovou a instalação. “Para nós o processo está concluído”, sublinhou. A solução fica agora entregue à câmara municipal e à Setronix. José Gil Serôdio referiu ainda que, neste caso, é apenas contra o BE “andar a distribuir antenas pela freguesia”. Conforme destacou, a zona que estava prevista para o equipamento já tem outras estruturas semelhantes.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...