uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Acto de vandalismo destrói toneladas de tomate a agricultor da Golegã

Acto de vandalismo destrói toneladas de tomate a agricultor da Golegã

Produtor acredita que acto foi feito “por desfeita” e vai apresentar queixa na GNR

Vandalismo ocorreu na madrugada de sexta-feira e desconhece-se quem são os seus autores.

Edição de 01.09.2010 | Sociedade
Um agricultor da Golegã ficou com metade da sua produção de tomate destruída depois de alguém lhe ter entrado com um carro pelo campo de plantação, dizimando tudo o que encontrava pela frente. Ao todo contabiliza a destruição de seis fileiras de tomate, cerca de 50 toneladas, “prontinho para ser apanhado”, metade do que tinha plantado em Abril. Joaquim Barroso, 55 anos, “agricultor toda a vida”, nem queria acreditar no que via quando na manhã de sexta-feira, 27 de Agosto, passou junto do tomatal, com cerca de três hectares, que tem na Requeixada, Golegã. Quem conhece o campo como ele, sabe que a ramada do tomate tem uma altura homogénea, neste caso cerca de 40 centímetros, pelo que viu logo que algo não estava bem. O agricultor constituiu uma empresa familiar de produtos hortícolas que, em colaboração com a associação Agromais, consegue vender para as fábricas da região. Na segunda-feira, 30 de Agosto, as palavras ainda lhe custavam a sair, abalado com o acto que não tem dúvidas em classificar como “vandalismo” uma vez que nada foi roubado. “Fizeram pouco de mim. Isto só pode ter sido praticado por alguém que me quer fazer alguma desfeita”, refere com uma calma aparente, mão no queixo e um leve encolher de ombros. O prejuízo é avultado mas Joaquim Barroso prefere não divulgar números. Minutos antes foi o filho Rui, 32 anos, o interlocutor desta conversa, mostrando-nos do alto da sua “pick-up” o rasto de destruição deixado ao longo de mais de um quilómetro. As marcas do carro, “que teria que ter rodas altas para fazer um serviço destes” são ainda bem visíveis no terreno. O calor abrasador que se faz sentir nessa tarde exala o cheiro do tomate maduro. Rui, que ajuda o pai na produção, pega em algumas ramadas desolado. Os tomates maduros pisados misturam-se com os verdes e agora vai ser recolhido com a máquina mas pouco ou nada se vai aproveitar.O vandalismo teve lugar na madrugada de sexta-feira e não teve testemunhas pelo que pai e filho não desconfiam de quem tenham sido os responsáveis. Já no início deste ano também destruíram uma carreira de melão a Joaquim Barroso mas roubaram também algumas toneladas de fruta. Nessa ocasião, alguém apontou as matrículas das viaturas mas viria a descobrir-se que as mesmas eram falsas. Apesar de não terem esperança que os culpados venham a ser apanhados vão participar o caso à GNR da Golegã para que fique registada a queixa contra desconhecidos. “Acho que preferia que me tivessem roubado uma caixa ou duas de tomate do que sentir que alguém me fez isto porque me tem azar”, confessa Joaquim desanimado mas pronto para arregaçar as mangas de novo.
Acto de vandalismo destrói toneladas de tomate a agricultor da Golegã

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...