uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Quercus contra instalação de cimenteira às portas da cidade de Rio Maior

Fase de consulta pública da avaliação de impacte ambiental terminou sexta-feira
Edição de 01.09.2010 | Sociedade
A associação ambientalista Quercus manifestou-se contra a instalação de uma cimenteira às portas da cidade de Rio Maior, em sítio da Rede Natura e junto ao Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros. “A Quercus considera que os impactes previstos, com afectação do Sítio de Importância Comunitária – Serras de Aire e Candeeiros da Rede Natura 2000, da Reserva Ecológica Nacional (REN) numa zona limítrofe ao Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, são inaceitáveis e contrariam um desenvolvimento sustentável”, lê-se num comunicado da associação.A Quercus, que emitiu parecer desfavorável à construção da cimenteira na fase de consulta pública da avaliação de impacte ambiental que terminou na sexta-feira, salienta que a área prevista para a cimenteira, onde já existe uma pedreira, “encontra-se no Maciço Calcário Estremenho e está condicionada pela REN”.“Algumas das pedreiras referidas no estudo como complementares ao projecto distam mais de 20 quilómetros, pelo que o transporte de matéria-prima necessária agrava de forma muito significativa as emissões de CO2 e de outros poluentes”, alerta ainda.Segundo a associação, “em termos de emissões, não está devidamente estudado o impacte que poderá ter na qualidade do ar em termos gerais e, principalmente, para a cidade de Rio Maior, que está demasiado próxima”.“O estudo refere a probabilidade de impactes negativos locais na fase de exploração, com a degradação da qualidade do ambiente marginal, sobretudo devido às emissões poluentes e à produção de resíduos”, esclarece a Quercus, adiantando que o mesmo documento “não refere os impactes dos poluentes como os metais pesados, dioxinas e furanos”.A presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais (PSD), reconhece que a empresa Tecnovia apresentou um ante-projecto na câmara para saber da viabilidade de construção de uma fábrica de cimento junto à Estrada Nacional 114, que liga às Caldas da Rainha, à saída de Rio Maior. A autarca diz, no entanto, que os serviços da câmara se limitaram a analisar o projecto para o local onde já funciona uma pedreira, nas imediações da quinta Sra.da Luz.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...