uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Semáforos na ponte da Chamusca incluídos no Plano de Segurança Rodoviária de 2011

Semáforos na ponte da Chamusca incluídos no Plano de Segurança Rodoviária de 2011

Solução aceite pelos motoristas dado que as protecções laterais não vão ser retiradas

A partir do ano que vem a circulação na ponte da Chamusca vai ser regulada com recurso a semáforos. A promessa foi feita pela Estradas de Portugal em resposta a um pedido nesse sentido feito pela Câmara da Chamusca.

Edição de 01.09.2010 | Sociedade
Fernando Henriques aguarda pacientemente à entrada da Ponte João Joaquim Isidro dos Reis (vulgarmente conhecida como Ponte da Chamusca) que todos os veículos pesados que circulam na faixa contrária terminem a travessia do tabuleiro para poder avançar em direcção à Golegã. É uma rotina a que este camionista já se habituou desde Outubro de 2008, altura em que foram concluídos os trabalhos de manutenção daquela estrutura. A partir daí, devido à colocação de guardas laterais de protecção dos pilares, o espaço para a circulação de veículos ficou reduzido e impede a passagem simultânea de pesados nos dois sentidos. Por enquanto é o civismo dos motoristas de pesados e a maior ou menor visibilidade que regulam o trânsito. A partir de 2011 será o verde e o vermelho dos semáforos a ditar leis. A Câmara Municipal da Chamusca fez um pedido nesse sentido à Estradas de Portugal e a resposta foi positiva. A instalação daqueles equipamentos está incluída na lista de trabalhos a realizar no âmbito do Plano de Segurança Rodoviário para 2011.“Concordo plenamente com esta medida, porque com camiões de grandes dimensões é muito difícil fazer a passagem da ponte. Quando está nevoeiro, por exemplo, não se vê nada e temos de entrar na ponte um pouco à sorte. Se temos o azar de encontrar outro camião a meio do tabuleiro, já não dá para passar. Ainda há dias, com nevoeiro, estavam dois camiões no meio da ponte e estive aqui duas horas à espera que viesse a brigada de trânsito para poderem resolver a situação. E já houve situações em que o trânsito ficou cortado mais tempo por esse mesmo motivo”, refere Fernando Henriques. Os semáforos, que vão ser colocados em ambos os lados da ponte, não irão funcionar a tempo inteiro mas apenas em condições de visibilidade reduzida, como em dias de chuva intensa, nevoeiro, à noite ou em condições especiais em que se preveja um aumento do tráfego de veículos pesados, explicou a O MIRANTE o presidente da Câmara da Chamusca, Sérgio Carrinho. Este sistema funcionará através de controlo remoto, que pode ser accionado a partir de um sistema informático da autarquia ou mesmo de um telemóvel dos serviços municipais de protecção civil. “Se os semáforos estiverem a funcionar permanentemente teremos acumulação de trânsito o que também causa transtornos”, salienta o autarca.Antes desta solução, a autarquia chegou a colocar à Estradas de Portugal a possibilidade de serem retirados os rails de protecção. Mas esta proposta não foi aceite porque, refere Sérgio Carrinho, tal afectava a segurança da travessia. “Corria-se o risco, como já aconteceu antes, de haver danos na estrutura. Havia um aumento dos riscos”, sublinha, acrescentando que a ideia de instalação dos semáforos foi discutida em várias reuniões com diversas entidades locais, como a GNR e os bombeiros.A instalação de semáforos é vista com bons olhos pelos camionistas com quem O MIRANTE falou. “Com a ponte de Constância fechada, (ver texto na página 9) já me aconteceu estar aqui uma boa meia hora para conseguir passar a ponte”, queixa-se Bruno Brás, de 26 anos e natural de Constância. De momento a circulação dos pesados faz-se de acordo com o civismo e boa-fé dos camionistas, mas nem sempre os condutores têm essa deferência para com outros companheiros de profissão”, lembra. Os camionistas admitem que os tempos de espera podem aumentar um pouco com a colocação dos semáforos e a circulação alternada, mas são unânimes em considerar que é a solução ideal para o problema. “Por vezes os camionistas chegam ao mesmo tempo à entrada da ponte, cada um do seu lado, e nenhum quer ceder passagem e ficar à espera e isso gera situações complicadas. Acho que a sinalização com semáforos é o melhor”. opina António Caetano, camionista de 48 anos, natural da Carregueira, e que passa na ponte diariamente varias vezes por motivos profissionais.José Lucas também passa diariamente na ponte e concorda com esta solução. Apesar de conduzir um pequeno Smart e não ter problemas de largura na passagem da ponte, o habitante da Chamusca considera que os semáforos viriam beneficiar não só os camionistas mas também os condutores de veículos ligeiros, pois irão regular de vez a travessia da ponte.Há mais de um século que não é construída uma grande ponte rodoviária sobre o Tejo a norte de SantarémCom excepção da travessia sobre o Tejo na barragem do Fratel, cons-truída em 1973 e que faz parte do IP2, e de uma pequena ponte situada na Estrada Nacional 3-12, que liga Alvega à A23 (Ortiga), não é feita nenhuma ponte a norte de Santarém há mais de cem anos.A ponte de Portas de Ródão, na Estrada Nacional 18, foi inaugurada em 1888. A ponte de Belver sobre o rio Tejo na Estrada Nacional 244 unindo Belver a Gavião, foi inaugurada em 1907. A ponte rodoviária de Alvega ou ponte do Pego, unindo Alvega (EN118) e Mouriscas foi inaugurada a 17 de Setembro de 1881 (a ponte rodo-ferroviária foi construída em 1992 para servir a Central Termoeléctrica do Pego). A ponte rodoviária de Abrantes foi inaugurada em 1870. A ponte da Praia do Ribatejo, que liga as estradas nacionais 3 e 118, unindo Praia do Ribatejo a Constância Sul, data de 1889. Inicialmente era apenas uma ponte ferroviária. Foi aberta ao trânsito rodoviário em 1988. A ponte João Joaquim Isidro dos Reis, conhecida popularmente como ponte da Chamusca, foi inaugurada em 1909 e a ponte D. Luís I também chamada ponte de Santarém, foi inaugurada em 17 de Setembro de 1881.A situação é bem diferente a sul de Santarém com três novas travessias feitas nos últimos doze anos e uma outra já prevista, entre Chelas e Barreiro. A ponte Salgueiro Maia, entre Santarém e Almeirim, foi inaugurada em 11 de Junho de 2000. A ponte da Lezíria, sobre os rios Tejo e Sorraia, na A10 (Bucelas - Benavente), ligando o Carregado (Alenquer) a Benavente, foi inaugurada a 8 de Julho de 2007. E a ponte Vasco da Gama, ligando Montijo e Alcochete a Lisboa e Sacavém, inaugurada a 4 de Abril de 1998.
Semáforos na ponte da Chamusca incluídos no Plano de Segurança Rodoviária de 2011

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...